free web
stats

Ecos da Feira de Nuremberga – 2018

Mod_Nuremberga_2018

Este ano, a Feira de Nuremberga, que decorreu na semana passada, foi uma desilusão no que toca a novidades para o mercado português. Nenhum dos nossos fabricantes participou, nem isoladamente com stand próprio nem em stand partilhado. Apesar de ser discutível, é pena não haver presença portuguesa nestes eventos internacionais. Apesar disso, e pelo que a webrails.tv conseguiu apurar, pelo menos uma das nossas lojas esteve presente como visitante profissional, o que abre a esperança para alguma novidade/surpresa ainda este ano.

Para os modelistas que também fazem modelismo espanhol, apareceram algumas novidades da MABAR e da Hornby ELECTROTREN. No entanto, pelo aferido nos vários foros do país vizinho, existem opiniões bastante desfavoráveis quanto à premência dos modelos presentados, com especial enfase na ELECTROTREN, onde a reação ao anuncio das novidades é muito negativa. Ao contrario, existe grande espectativa no modelos das locomotivas da serie 4000 anunciada pela MABAR. e… aparece também anunciada uma 1320 da CP em escala N! Por outro lado, a REE apresentou os tractores Moyse, será que o Sapec estará de facto para breve? Em Fevereiro, tal como Armando Lobato disse à webrails.tv no inicio do ano (aqui)? Esperemos que sim.

Esta feira de 2018 para o modelismo ibérico não será certamente uma referencia na nossa memória.

Relativamente ao resto da Europa, o panorama é bastante diferente. Todas as marcas mais conhecidas estão presentes, grandes, medias e pequenas, todas elas com bastantes novidades para os mercados europeus não ibéricos, em especial para os mercados de leste. Mas também há muitas versões novas, sobretudo nas escalas H0 e N. Como apaixonados dos grandes comboios que ligaram a Europa, a ACME apresentou um Simplon Orient Express do final dos anos 60 já em época IV, de 2 conjuntos de 3 carruagens, onde, em colaboração com a REE utiliza 3 modelos produzidos pela firma francesa além dos 3 modelos que fabrica.

Tecnologicamente, também a ESU, a ZIMO e a LENZ, apresentaram novos decoders, novos adaptadores de electrónica de via, cada vez com mais funções, tornando rapidamente obsoletos (talvez depressa demais) a maioria dos comandos que possuímos. É o caso da consola digital da Piko, que aparece com mais funções dinâmicas, tornando o hobby cada vez mais técnico e cada vez mais de equipa. É também o caso da ROCO/FLEISCHMANN, com o upgrade do software de controlo da consola digital Z21, com muitas mais funções, desde a concepção de um layout, às suas ligações eléctricas e à programação de composições para um período de tempo. Tudo isto em tablet!

Os ecos de dificuldades financeiras de algumas das marcas mais conhecidas ainda se fazem sentir, nomeadamente na visibilidade do aproveitamento ao máximo dos moldes existentes para novas versões, algumas delas só existiram na imaginação dos fabricantes.

Quanto aos acessórios e materiais para cenário, cerca de 40% do espaço dedicado ao modelismo ferroviário desta feira, talvez a maior percentagem da década, apareceram também um sem numero de novidades, mas aqui, infelizmente, também apenas para os mercados cénicos não ibéricos, com excepção das figuras, que servem também para portugueses e espanhóis. Apareceram já muitas construções em kit, novas, à verdadeira escala 1:87, a par do que acontece também nos modelos ferroviários, confirmando a tendência dos últimos anos. Destaco os pórticos de movimentação de contentores da FALLER, varias vezes anunciados, fizeram finalmente a sua aparição.