free web
stats

Ferrovia em destaque na acção governativa desta segunda-feira

Na manhã desta segunda-feira, 5 de Março em Elvas, o Governo consigna os trabalhos entre Elvas e a fronteira espanhola e procede ao lançamento do concurso do primeiro troço Évora – Elvas.

Da parte da tarde a comitiva ruma a norte, até Covilhã, e na encosta da serra da Estrela consigna as obras do troço Covilhã-Guarda da linha da Beira Baixa.

O programa conta com a presença da Comissária Europeia da Mobilidade e Transportes, Violeta Bulc, em Elvas e na Covilhã, e do Presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, em Elvas.

No Corredor Sul a manhã assinala o início das obras do troço Elvas-Caia e o lançamento do concurso da primeira empreitada do troço Évora-Elvas.

Primeiro, por volta das 11h00 na Estação de Elvas, tem lugar a consignação da obra de modernização dos 11 km que separam Elvas da fronteira espanhola. São 23 milhões de euros para Teixeira Duarte e Somafel modernizarem o troço e estação Elvas. O prazo de execução é de uma ano e não implica a electrificação.

A comitiva segue depois até ao Museu de Arte Contemporânea de Elvas para a sessão de lançamento do concurso Évora-Elvas. No discurso proferido na Ordem dos Engenheiros, Pedro Marques deu conta que se trata ” de quase 100 km, com um investimento inicial superior a 400 milhões de euros”.

No Corredor Sul o governo está autorizado  a construir os troços entre o Freixo e o Alandroal, entre Évora Norte e Freixo e ainda entre o Alandroal e a Linha do Leste.

Esta segunda são lançados a concurso os primeiros quilómetros, mais concretamente 20,5,  no troço Évora – Freixo.

O programa da tarde ocorre na Covilhã, a partir das 16h30, onde tem lugar a consignação do troço Covilhã-Guarda, da Linha da Beira Baixa.

Mas antes, na Estação do Fundão, a comitiva embarca num comboio especial, a Allan VIP, que irá levar políticos e jornalistas à Covilhã. Após a chegada segue-se a Cerimónia que assinala o início das obras que deverão estar concluídas em 2019.

A IP adjudicou a modernização do troço de 46 quilómetros ao Agrupamento Ramalho Rosa Cobetar/Conduril, por 52 milhões de euros. Destaca-se na obra a electrificação e a construção da concordância de acesso à linha da Beira Alta.

Trata-se de uma ligação entre a Linha da Beira Alta e a Linha da Beira Baixa, em Via única electrificada, com 1500 metros de extensão. Inclui a execução de uma nova ponte ferroviária sobre o rio Diz, com uma extensão de 237,8 metros.

As obras integram o Plano Ferrovia 2020, apresentado pelo Governo em Fevereiro de 2016,e que prevê um investimento público superior a 2 mil milhões de euros, suportados pelo OE e por fundos europeus.