free web
stats

Governo dá pontapé de saída para 105 km de Corredor Sul

sul_CorredorO Primeiro-Ministro, António Costa, o Presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, e a comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc, lançaram segunda-feira em Elvas o primeiro concurso do troço Évora-Elvas do Corredor Sul.

Trata-se do concurso para a empreitada de construção da primeira de três secções do futuro corredor ferroviário Évora-Elvas em bitola ibérica travessa polivalente.

A linha a construir,  encontra-se dividida nas secções Alandroal-Linha do Leste (220 milhões de euros), Freixo-Alandroal (105 milhões de euros) e Évora Norte-Freixo (70 milhões de euros).

O troço Évora Norte-Freixo tem 20,5 km de extensão. Segundo a IP comporta “1 estação técnica, 13 Obras de Arte Correntes, 6 Obras de Arte Especiais”, com plataforma e Obras de Arte preparadas para duplicação.

Para o total dos 79,4 km de linha nova está prevista a construção de 52 passagens superiores e Inferiores à via férrea, 29 pontes e viadutos ferroviários e, 3 Estações técnicas.

Para materializar a obra no terreno até  2022 o governo prevê lançar ainda este mês a empreitada dos 20,5 km do troço Freixo-Alandroal, e em Abril os 38,4 km da ligação Alandroal-Linha do Leste.

Ainda em Abril, de acordo com o mapa apresentado pela IP, será aberto concurso para a construção da Subestação do Alandroal – 9M€ e, no segundo semestre de 2018,  os trabalhos de Via e Catenária a 25 kV  entre Évora-Caia (105 km) por 128 M€.

A alocação de verba para o troço Évora-Caia do corredor sul é de 530 M€.

Em Elvas Costa e Rajoy sobre o corredor

A futura ligação, disse António Costa em Elvas, “significa reduzir em 30% os custos” de quem recebe mercadorias descarregadas nos portos de Sines, Setúbal ou Lisboa, “reduzindo em 3h30 o transporte e vai encurtar a distância em 140 quilómetros”.

Já o Presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou que o conjunto de obras que Portugal está a desenvolver na ferrovia são “excelentes notícias” e “vão ao encontro desse objectivo de capital importância, que é unir os nossos cidadãos e melhorar o seu dia-a-dia”.

Houve ainda espaço para lançar a intervenção na ligação de 11 km de Elvas à fronteira e o dia terminou na Covilhã com a consignação dos trabalhos de modernização do troço da Linha da Beira Baixa entre Covilhã (quilómetro 165,194) e Guarda (quilómetro 211,694).

Um investimento de 52 milhões de euros adjudicada ao Consórcio Ramalho Rosa Cobetar / Conduril, prevendo-se a sua concretização para 2019.