free web
stats

AMT liberta relatório sobre Utilizadores de Serviços Ferroviários

Já esta disponível a consulta aos Utilizadores de Serviços Ferroviários realizada pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) em 2017. O Relatório apresenta conclusões sobre o serviço de passageiros, mercadorias e infraestrutura.

img: Fertagus

img: Fertagus

O documento reflecte as respostas dos utilizadores de serviços ferroviários de passageiros e de mercadorias, utilizadores da infraestrutura ferroviária e das instalações de serviço ferroviário, nos últimos dois anos.

Passageiros

A consulta indica que os níveis de satisfação global são mais elevados nos serviços intercidades, alfa e internacionais.

Por outro lado, parecem existir níveis de satisfação mais reduzidos com a prestação dos serviços regionais e com os serviços urbanos e suburbanos, sobretudo nas linhas de Sintra e Cascais.

Em geral, os respondentes consideraram que a qualidade global dos serviços ferroviários de transporte de passageiros se tem mantido estável nos últimos 2 anos.

As matérias consideradas mais relevantes para a qualidade global dos serviços ferroviários urbanos e suburbanos de transporte de passageiros estão relacionadas com os preços e procedimentos de aquisição de títulos de transporte e com a informação disponibilizada aos utilizadores.

No que diz respeito aos serviços ferroviários regionais, de longo curso e internacionais, as matérias identificadas como mais relevantes relacionam-se com a qualidade das viagens de comboio e com o preço e procedimentos de aquisição de bilhetes.

São identificados níveis de satisfação reduzidos nas matérias relativos ao tratamento de situações de atraso ou perturbação dos serviços e à informação disponibilizada aos utilizadores.

Existem também evidências de insatisfação quanto ao tratamento de matérias relacionadas com a acessibilidade e assistência a utilizadores com deficiência e/ou mobilidade reduzida.

O presente documento identifica os problemas e as sugestões de melhoria identificadas pelos respondentes (e.g., aplicação de pisos tácteis nas plataformas de acesso à carruagem; melhoria dos serviços de apoio no acesso às carruagens).

Para tornar os serviços ferroviários mais atrativos parece importante introduzir melhorias em questões relacionadas com os preços, a pontualidade e as supressões dos serviços, assim como na informação disponibilizada aos utilizadores.

Mercadorias

De acordo com as respostas das empresas utilizadoras dos serviços ferroviários de transporte de mercadorias, a qualidade global dos serviços é, em geral, satisfatória. As associações empresariais respondentes têm uma perspetiva mais negativa.

Quer para as empresas utilizadoras, quer para as associações, o parâmetro “Preço” foi considerado como o mais relevante para a qualidade global e atratividade dos serviços.

Destaca-se também a relevância atribuída às matérias relacionadas com a fiabilidade, a pontualidade e a cobertura geográfica dos serviços.

De acordo com as respostas recebidas, as matérias em que existe uma maior insatisfação quanto à qualidade dos serviços estão sobretudo relacionadas com o preço e a cobertura geográfica dos serviços.

Por outro lado, a satisfação com a duração do transporte (velocidade média) e com a proteção das mercadorias transportadas é, em geral, elevada.

Constata-se que o transporte rodoviário de mercadorias tem sido uma alternativa à utilização de serviços ferroviários de transporte de mercadorias, existindo evidências de alguma substituibilidade entre estes serviços.

Importa continuar a avaliar as situações concretas em que os serviços ferroviários e rodoviários de transporte de mercadorias possam ser efetivamente substitutos.

Instalações de Serviço

Na consulta realizada às empresas ferroviárias concluiu-se que, em geral, existe uma apreciação insatisfatória quanto às condições oferecidas pelos sistemas técnicos instalados na infraestrutura, bem como a respetiva gestão destas infraestruturas.

Constatou-se igualmente que as empresas ferroviárias consideram que, nos últimos dois anos, existiu uma redução, não só da qualidade global da infraestrutura ferroviária disponibilizada e da sua gestão, mas também da qualidade de alguns parâmetros específicos.

As matérias relativamente às quais existe um maior grau de insatisfação estão relacionadas com as condições da via ferroviária e com o regime de melhoria de desempenho.

Pela positiva destacam-se as matérias relativas à gestão da capacidade e a interação e comunicação existente com o gestor da infraestrutura.

Concluiu-se adicionalmente que existe uma insatisfação generalizada quanto às condições oferecidas pelas diversas instalações de serviço.

Contudo, em geral, a perceção existente é que, nos últimos dois anos, a qualidade e gestão das instalações de serviços manteve a sua qualidade global.

Relativamente às instalações de serviço, a maior insatisfação diz respeito às estações de passageiros, não existindo nenhuma matéria que tenha obtido uma avaliação maioritariamente satisfatória por parte dos respondentes.

Plano de acções a implementar no sector pela AMT

Neste contexto a entidade destaca no Relatório para futuro: a divulgação de informação aos utentes, incluindo sobre os seus direitos; a identificação e promoção das melhores práticas relacionadas com as condições de acessibilidade e a assistência a utilizadores com deficiência e mobilidade reduzida; a implementação das orientações legais e jurisprudenciais relativas à necessidade de contratualização de serviços públicos de transporte de passageiros, incluindo no modo ferroviário; e a existência de condições e incentivos adequados a uma gestão eficiente da infraestrutura, incluindo no que concerne à sua melhoria e manutenção e às condições da sua utilização.