free web
stats

FMNF não se financia só com prestigio

mnf_enA Fundação Museu Nacional Ferroviário (FMNF) avançou no inicio do mês de Abril com um pedido de apoio ao Museu Nacional Ferroviário através do IRS. Pede ao contribuintes 0,5% do imposto colectável.

Com o inicio do preenchimento das declarações do IRS a FMNF solicitou o apoio de 0,5 % do imposto dos contribuintes para o Museu Nacional Ferroviário. A instituição integra o imposto na opção “Instituições Culturais com estatuto de utilidade pública”.

O valor é retirado da verba apurada pelo Estado para efeito de imposto a cobrar no IRS, e por isso não sai do bolso do contribuinte, mas permite à sociedade dizer ao Estado a que entidade deve entregar parte – 0,5% – do valor tributável.

Entretanto, para os cofres da Fundação em 2018, a Intuição pode contar com um encaixe que pode chegar perto dos 60 mil euros. O valor tem como referência os 12 meses de remuneração que Carlos Nogueira, presidente da CP, não vai receber este ano pela comissão no CA da FMNF.

Prestigio

Em contraste com a solicitação de apoio no IRS, também neste mês de Abril, circula no Douro como “The Presidencial” uma composição histórica do Museu Nacional Ferroviário, onde o retorno não e uma comissão para a tesouraria mas prestigio.

Através da experiência The Presidencial, por estes dias, o comboio do Museu tornou-se mundialmente conhecido e nos últimos 2 anos gerou métricas de 4,4 milhões de euros de retorno.

Aposta que não só não seria possível, como também não seria viável se houvesse comissão para o Museu apurou a webrails.tv próximo do “The Presidential” porque isso inviabilizaria o projecto desde o primeiro dia.

Já o titular do acervo fechou o ano de 2016, segundo o Relatório e Contas, com mais de 300 mil euros negativos. Em Dezembro de 2017 o presidente do CA da FMNF anuncia a saída para Janeiro de 2018. Como pano de fundo problemas de tesouraria para pagar aos funcionários, enquanto havia um boato de que o Museu podia fechar.

Por outro lado, quando for publicado o Relatório e Contas 2017, não será descabido procurar a métrica desse retorno nos rendimentos obtidos pelo Museu através do número de visitantes, venda de artigos e aluguer de espaço.

Pode ainda referir-se que não há disponibilidade da FMNF nem do promotor do The Presidential para mostrar o que foi rubricado no contrato, fora da parte comercial, para a missão do Museu.

Missão que não passa só por pagar salários, também por promover investigação e edição de livros e publicações relevantes, associar a FMNF e marcar presença em momentos relevantes para a história da ferrovia. Promover encontros, feiras, comprometer as associações e lutar por uma ferrovia cultural e turística em movimento com o seu acervo.