free web
stats

Entendimento entre Trabalhadores e a Adminsitração suspende greve na EMEF

emef_DuqueCom a perspectiva de mais imobilizações de material circulante no metro do Porto, CP e Medway, representantes dos trabalhadores e administração da EMEF chegaram a acordo para suspender o calendário de paralisações em vigor na empresa.

A abertura da Administração para dialogar com os representantes dos Trabalhadores, depois de um longo período de indiferença ás reivindicações, chegou no final da semana passada.

Mas antes, na imprensa, e com greves a decorrer, circulavam noticias que davam conta de que o Metro do Porto estava em vias de suspender a circulação em algumas linhas por imobilização de veículos.

A situação estava num ponto em que ameaçava estender-se à frota CP, e agudizar o cenário de material circulante imobilizado do operador público, e encostar material circulante de um operador ferroviário privado de mercadorias.

A pouca flexibilidade da administração, limitada por o poder de decisão estar a outros níveis, foi contornada com uma paralisação selectiva dos trabalhadores.Três horas por turno de 12 horas.

Por não ter impacto mediático a luta arrastou-se. No caso da EMEF greves como na CP ou IP passam ao lado da sociedade e de quem anda de comboio, mas a paragem cirúrgica nas oficinas lembrou que a ferrovia é como um relógio.

O impacto na produtividade da manutenção começou a ter impacto manutenção. Atrasou o trabalho em curso e a entrada de novo material. Manter a situação seria retirar mais material de circulação.

Neste caso a manutenção assegura a segurança dos veículos é tão importante como a exploração ou a gestão da capacidade da infraestrutura ferroviária, na harmonia do sistema.

O desbloquear a situação foi alcançado com um Acordo assinado na sexta-feira. Marcaram presença e rubricaram o documento na reunião, além das ORT’s, os representantes das Finanças, Trabalho e Tutela sectorial, Carlos Nogueira Presidente da CP, e Administração da EMEF.