free web
stats

Brasil: SOMAFEL e Vale rubricam novo contrato

somafel_carajasA SOMAFEL vai duplicar mais um troço na Estrada Ferro de Carajás para a VALE. A assinatura do contrato entre a construtora portuguesa de via férrea pesada e a multinacional brasileira deu-se a 11 de Maio.

A empreitada, apurou a webrails.tv junto da empresa, tem como objecto “a construção integral de cerca de 10 Km de via-férrea pesada e montagem de 10 aparelhos de mudança de via, em bitola 1600 mm”, no Estado do Pará.

A ligação entre o construtor de ferrovia pesada português do Grupo Teixeira Duarte e a multinacional brasileira do sector mineiro, na ferrovia de Carajás não é nova.

No final 2015 rubricaram a extensão do corredor, no Estado do Maranhão, em 87 km. No ano seguinte, no Estado do Pará, era assinado novo contrato com vista à extensão de mais 43 km.

Com estes 2 projectos, entretanto concluídos, a SOMAFEL entregou treze segmentos, 130 km de extensão, na Duplicação da Estrada de Ferro de Carajás.

Por seu turno, com a execução do contrato de dia 11, a SOMAFEL irá completar “um total de 140 km de construção integral de via-férrea na Duplicação da Estrada de Ferro de Carajás, nos Estados do Maranhão e Pará”.

De referir que a presença do construtor português no Brasil, dados da Teixeira Duarte, assinalam crescimento de 10% em 2017. O incremento é justificado com a mudança da estratégia “nas áreas comercial e produção, pois a SOMAFEL optou por deixar de apresentar propostas para empreiteiros gerais, assumindo-se como mais selectiva com a escolha dos potenciais clientes neste mercado”.

No mercado brasileiro elegeu a VALE, S.A., “cuja exigência e compromisso são posturas com que o Grupo Teixeira Duarte e a SOMAFEL se dão bem”, para cliente estratégico.

A aposta no mercado brasileiro expressa-se ainda na área da produção. “A SOMAFEL conseguiu colocar os seus equipamentos ferroviários com taxas de ocupação próximas da plenitude, e optou-se por uma aposta na contratação e formação de profissionais brasileiros, para toda a cadeia produtiva”, da conta o Grupo português.

A Estrada de Ferro do Carajás apresenta uma extensão de 892 km. Enquanto corredor mercadorias destaca-se como elo ligação da mina de minério de ferro a céu aberto da VALE em Carajás, no sudeste  do Estado do Pará, ao porto atlântico de Ponta da Madeira, em São Luís, no Estado do Maranhão.

A ferrovia Carajás é uma referência em quantidade de carga transportada. No corredor circula um dos maiores comboio em exploração do mundo, com cerca de 3,5Km de comprimento.

.

Na linha circulam ainda comboios de passageiros explorados pela VALE, empresa concessionária da Estrada de Ferro.

Seguir de comboio desde São Luís, no Maranhão, a Parauapebas, no Pará, demora cerca de 16 horas. A composição do promocional da Vale acima entrou ao serviço na Estrada de Ferro Carajás em 2015.

A linha, que segue Norte e o Nordeste rumo ao Atlântico, é uma das portas de entrada na Amazónia, uma vez que a região estende-se até ao Maranhão

.