free web
stats

Entroncamento recebeu Comboio Presidencial para Museu

comboioPresidencial

img : Ricardo Barradas

 (23.04.2013) De Contumil para o Entroncamento, as seis carruagens que compõem o Comboio Presidencial chegaram esta terça-feira, com mais de duas horas de atraso. A locomotiva 1424 avariou a cerca de 10 km do Entroncamento. O comboio acabou por ser socorrido por duas locomotivas eléctricas, a  5617 e 5616.

 O Comboio Presidencial depois da intervenção de Conservação e Restauro, iniciada em 2010 nas Oficinas de Contumil, vai estar disponível para fruição de quem visitar o acervo do Museu Nacional Ferroviário no Entroncamento. É também  dado para possíveis viagens turisticas.

O restauro foi desenvolvido pela EMEF – Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário, nas Oficinas Gerais de Contumil, em estreita articulação com o Serviço de Conservação e Restauro do museu.

franco

Estação do Luso

O Boletim da CP 246, em 1949, dava conta de uma viagem no Comboio Presidencial a 25 de Outubro de 1949. “O Generalíssimo Franco elogiou os caminhos-de-ferro portugueses, quando viajou de Queluz ao Luso” foi o título do artigo de então, e sublinhou o facto de o  responsável espanhol, ao chegar ao Luso, ter solicitado a presença dos maquinistas a fim de os “cumprimentar pela forma como haviam conduzido o comboio”. A viagem ferroviária aconteceu entre Queluz e Luso.

Segundo a carta impressa de 21 de Outubro de 1949, expedida pela Exploração – Serviço de Movimento – Organização de Transportes, o “comboio especial“ tinha hora prevista de saída de Queluz pelas 9.45, paragem em Chão das Maçãs pelas 11.34 e Pampilhosa às 11.59, com chegada ao Luso prevista para as 13.10. Após a partida de Queluz, o comboio devia seguir com o nº 5798 até Lisboa-Rego, e depois de Lisboa-Rego assumir o nº 5799. O comboio especial, em todo o seu trajeto, foi acompanhado pelo Inspetor Adjunto à Divisão de exploração, o Sr. Henrique Sanches de Miranda.

A composição era composta por Fourgon, Salão Presidencial, Salão nº4, Salão nº3, Vagon Restaurante e carruagem de primeira.

Como curiosidade, a sete de Janeiro de 1950, era confirmada a receção e entrega de uma quantia de 250$00, “distribuída pelos condutores do comboio que conduziu o Generalíssimo  Franco ao Luso“. Em carta (103-D) remetida pela Direcção Geral da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, situada na Estação de Santa Apolónia, a confirmação de Henrique da Guerra Quaresma Viana dos valores e a distribuição dos mesmos:

- 100$00 ao condutor de carruagens José Maria Gonçalves (Nº 9122-M.T.), que acompanhou o Salão que seguia o Generalíssimo Franco;
- 50$00 ao condutor de carruagens, António Caetano Esteves (Nº 9131-M.T.);
- 50$00 ao condutor de carruagens, Acácio Pinto da Fonseca (Nº 8630-M.T.);
- 50$00 limpador suplementar, em serviço de condutor de carruagem, José de Oliveira.