free web
stats

Museu do Carro Eléctrico desfile de Carros Elétricos Históricos

portoLetricos Dia 4 de Maio vai ser possível ver ou andar nos Carros Elétricos Históricos do Porto. O Museu do Carro Eléctrico promove no Sábado o seu 23º Desfile Anual de Carros Elétricos Históricos.

“Para este ano, em que se comemoram os 50 anos da inauguração da Ponte da Arrábida, o Museu do Carro Elétrico selecionou um conjunto de veículos representativos da época entre os quais se destaca o S – 500 que entrou ao serviço em 1951. Para além deste veículo, irão desfilar pela Linha da Marginal alguns dos mais belos exemplares da coleção do Museu entre os quais se destaca o carro americano n.º 8, os carros elétricos n.º 100, 288, 373 e atrelado n.º 25.”

A iniciativa vai ter inicio pelas 15h30 em frente ao Museu do Carro Eléctrico. Vai com 12 veículos da coleção que irão percorrer a Linha da Marginal num percurso entre Massarelos/Passeio Alegre/Infante/Massarelos. O desfile contará com animação a cargo da Escola de Música de Costa Cabral.

Tem ainda prevista uma viagem especial com degustação de vinhos “a bordo” entre Massarelos/Batalha/Carmo.

img :  Andreas Nagel

img : Andreas Nagel

Carro Elétrico S – 500 ‐ O carro elétrico S ‐ 500 foi desenhado e fabricado nas oficinas do Serviço de Transportes Colectivos do Porto (STCP) entre 1951 e 1952. Este veículo é um protótipo de uma série de carros que nunca chegaram a ser construídos. Embora na altura se pensasse que seria o primeiro carro de uma nova série de linhas modernas, acabou por ser o último a ser fabricado no Porto. Com uma visão futurista e linhas inovadoras, fazendo lembrar um autocarro, o carro elétrico S ‐ 500 possuía também algumas inovações técnicas: portas de comando automático funcionando a ar comprimido, acionadas pneumaticamente pelo guardafreio, campainha elétrica e escovas limpa para‐brisa. Este veículo foi também o primeiro carro elétrico na cidade do Porto a ter um lugar sentado para o guarda‐freio e outro para o cobrador. O carro elétrico S‐500 é um veículo unidirecional, possuindo um combinador na retaguarda para manobras de serviço e emergência. A sua limitação nos percursos em que circulava, exigindo uma raquete ou rotunda, levou à sua retirada de circulação em 1967.

img : trams-aux-fils

img : trams-aux-fils

Carro elétrico n.º 100 – Entre 1910 e 1928 circularam no Porto dois carros totalmente abertos, apenas protegidos por cortinas de pano riscado. Circulavam sobretudo no Verão pois destinavam‐se a transportar turistas e as pessoas oriundas dos arredores da cidade que pretendiam ir para as praias. Em 1928, um grande incêndio destruiu completamente um desses carros, tendo sido o outro reconvertido num carro fechado. Para comemorar o
Centenário do aparecimento do carro elétrico no Porto, em 1995, foi construída uma réplica de um desses carros abertos — o carro elétrico n.º 100. Com duas plataformas sem acesso ao interior, este carro dispõe de estribos a todo o comprimento, com possibilidade de recolha para posição vertical, através de rotação axial.

Tram_Porto_288_trams aux fils

img : trams-aux-fils

Carro elétrico n.º 288 – Este veículo pertencia a uma série de 10 carros elétricos que foram adquiridos pela Companhia Carris de Ferro do Porto à empresa belga “Societé Anonyme des Atelliers de Construction des Etablissements Familleureux” em 1928, razão pela qual ficaram conhecidos pelo nome de “carros belgas”. O “belga” era olhado como o carro elétrico mais elegante de todos. Possui seis janelas laterais e cinco em cada uma das plataformas. Os 40
lugares sentados no interior são revestidos a palhinha, destacando‐se ainda pelos candeeiros interiores e pelos seis ventiladores no tejadilho que permitiam a renovação do ar.

O público poderá viajar nos carros elétricos históricos mediante a aquisição de um bilhete específico que se encontra à venda no Museu do Carro Eléctrico por 7,50€ (adulto) ou 3,50€ (crianças dos 4 aos 12 anos e maiores de 65 anos). A participação é gratuita para crianças até aos 4 anos de idade.