free web
stats

Tarde temática de modelismo do C.E.C. dedicada aos fabricantes nacionais

Decorreu no passado sábado, 7 de Julho de 2018, mais um encontro temático de modelismo do Clube dos Entusiastas do Caminho-de-Ferro, C.E.C., desta vez dedicado a material produzido por fabricantes nacionais.

Proximus, RTrains, Norbrass, Sudexpress, Arlo-Micromodel, são as marcas dos modelos que se podem ver nesta fotografia de A.Sequeira

Proximus, RTrains, Norbrass, Sudexpress, Arlo-Micromodel, são as marcas dos modelos que se podem ver nesta fotografia de A.Sequeira

Apesar dos esforços da secção de modelismo em convidar os fabricantes nacionais, sejam industriais ou artesanais, apenas compareceram a JG Modelismo, sobejamente conhecida do mercado e a Ferro a Fundo, um novo fabricante da qual publicaremos um artigo ainda este mês (não conseguimos encontrar link público). Os restantes não compareceram por dificuldades de agenda.

Apesar da “falta de comparência”, o encontro foi muito concorrido, não só pela presença de modelistas sócios, não sócios e convidados destes, mas também muitos curiosos do modelismo ferroviário que visitaram o C.E.C. pela primeira vez. E, claro, as presenças de Jorge Garcia e Luís Pinto, animaram as conversas durante toda a tarde.

O vagão Ealos da Ferroa Fundo

O vagão Ealos da Ferro a Fundo

A azáfama foi tal, que não se colocaram em cima dos carris mais de 15 modelos, entre material motor e rebocado, que os modelistas tinham nos seus sacos.

A curiosidade centrou-se nas automotoras Nohab da JG Modelismo, que levou modelos DCC, das versões 50 (curta) e 100 (longa). Os vagões Ealos de Luís Pinto também despertaram grande interesse, já que dos presentes ninguém conseguiu adquirir nenhum dos sets colocados à venda pela Ferro a Fundo. Também circulou a locomotiva CP 1322, projecto recente da loja Comboioselectricos.com, e produzida pela Mabar. Curiosamente não apareceu nenhuma locomotiva a vapor da série 110, também projecto da mesma loja, fabricada pela Mabar.

A locomotiva CP 1930 da Arlo-Micromodel, aqui motorizada para sistema Marklin

A locomotiva CP 1930 da Arlo-Micromodel, aqui motorizada para sistema Marklin

À parte destes modelos, as estrelas da tarde, circularam muitas composições compostas pelas várias locomotivas presentes e os muitos vagões já comercializados. Próximus, Rtrains, Sudexpress, Arlo-Micromodel, Norbrass e Ferro a Fundo foram as marcas portuguesas presentes, mais a Mabar, embora não sendo fabricante nacional, produz modelos portugueses em cooperação com “actores” portugueses.

A grande pergunta clamorosamente e insistentemente ouvida: “Quando é que teremos carruagens de passageiros decentes para formar os comboios? Sorefames e não só…”

Unidade dupla de CP 1400 da Arlo-Micromodel e, em segundo plano, a CP 2510 em versão de origem da Sudexpress

Unidade dupla de CP 1400 da Arlo-Micromodel e, em segundo plano, a CP 2510 em versão de origem da Sudexpress

De referir e elogiar o material que esteve em exposição, locomotivas analógicas, DC e AC, e digitais, assim como os furgões e vagões, que maioritariamente mostram a elevada qualidade e rigor que os fabricantes portugueses põem nos seu modelos. Não podemos esquecer que à data da comercialização dos modelos que estiveram presentes, todos ele foram muito bem recebidos pelos modelistas portugueses. Que esta realidade seja tida em conta, e que nos continuem a surpreender com novas e excelentes reproduções.

E, por favor, não se esqueçam das carruagens de passageiros, até parece que há uma maldição…