free web
stats

Fectrans define linhas de força para o sector dos transportes e comunicações

emef_DuqueA plataforma sindical afecta a CGTP-IN, a FECTRANS, definiu seis linhas reivindicativas a desenvolver no sector dos transportes e comunicações nos próximos tempos.

Os objectivos, apurados em reunião de quadros sindicais ocorrida no final de Setembro, remetem para salários, horário de trabalho, contratação colectiva, idade da reforma, precariedade e serviço público.

Incidem, mais concretamente, “No aumento real dos salários; Redução do horário e organização do trabalho; “Na defesa e alargamento da contratação colectiva”; “Na defesa da redução da idade da reforma tendo em conta as especificidades do sector”; “O combate à precariedade no trabalho”; “A defesa do serviço público”.

Além dos objectivos reivindicativos são identificados momentos onde a luta sindical subiu degraus. No modo ferroviários destaca reflexos na ferrovia pesada e ligeira.

Na ferrovia pesada a “Revisão do regulamento de carreiras, traduzido em aumento de salários e aberturas de novas progressões profissionais, mantendo-se aberto todo o processo de negociação”, na CP.

A “Actualização intermédia de salários, mantendo-se aberto o processo de negociação”, na IP. Na EMEF sublinha a “Actualização intermédia dos salários, mantendo-se em aberto a negociação”.

A “Assinatura de um Acordo de Empresa, com aumento dos salários e transposição dos direitos oriundos da CP”, na Medway.

Na ferrovia ligeira, no METROPOLITANO DE LISBOA, diz que “Está aberta a negociação para o aumento dos salários”, e no METRO TRANSPORTES DO SUL aponta para a  “Actualização dos salários através da luta, embora seja uma empresa sem contratação colectiva”.