free web
stats

Rail Bike Marvão entrou nos carris do ramal de Cáceres

rail bike marvao 02O concelho de Marvão, no Alto Alentejo, conta desde este mês de Outubro com uma nova proposta turística que explora o modo ferroviário. Trata-se de passeios com railbikes no ramal de Cáceres, hoje desactivado, no troço Beirã – Castelo de Vide – Beirã.

Encerrado desde Agosto de 2012 o antigo corredor foi concessionado para exploração comercial com veículos a pedais. A experiência permite viajar no corredor ferroviário a baixa velocidade e ter acesso à paisagem envolvente.

Para já são duas as modalidades que a Rail Bike Marvão, empresa concessionária do projecto turístico, apresenta para se percorrer o ramal de triciclo a pedais adaptado andar sobre a via férrea.

O passeio mais longo, um pouco mais duro, propõe uma viagem até Castelo de Vide e regresso à Beirã. São cerca de 16 km entre as duas estações.

“Entre a estação de Castelo de Vide e a de Marvão-Beirã a linha percorre as faldas da Serra de S. Mamede e ziguezagueia contornando os montes. Os bosques de carvalho-negral são uma constante. A paisagem é de uma beleza soberba”, alerta um folheto da região acerca do troço.

A outra proposta, mais simples fisicamente, remete para cerca de metade do trajecto. Como referência está uma ponte de 25 metros que é atravessada. Transposta a obra de arte pára-se por alguns minutos e enceta-se a viagem de regresso.

O ponto tem uma vista singular onde a serra de São Mamede se espraia no horizonte e do lado oposto vislumbra-se “o morro de Marvão e o seu castelo altaneiro”.

.

rail bike marvao 00Na sequência do anuncio de que um ramal ferroviário encerrado ia ter uma nova valência, não como a habitual via verde, mas enquanto plataforma de turismo ferroviário.

A aposta passa por explorar o corredor ferroviário e algum do edificado associado,  com rail bikes.

A webrails.tv entrou em contacto com o promotor, a Rail Bike Marvão. Do projecto, Susana Torgal, um dos elementos da equipa, conversou com a plataforma. No diálogo estabelecido começou por deixar algumas pistas de como se deu este encontro que emprestou uma segunda vida ao corredor ferroviário da Beirã.

Ainda na parte da circulação, no troço em exploração, as estações continuam em eclipse. A Rail Bike Marvão não procede ao encravamento das agulhas para definir itinerários.

A circulação tem lugar na via junto ao cais de embarque da lado do edifício da estação. Para apontar as railbikes no sentido da marcha, os veículos são levantados e posicionados.

A fechar, já a rematar o apontamento, Susana Torgal destacou ainda que esta aposta acabou também por ser uma opção para desacelerar da rotina dos centros urbanos e dar maior densidade e dimensão ao momentos.

.

Na antiga estação fronteiriça de Marvão – Beirã, o cais coberto, serve de apoio para toda a operação comercial. É lá que as railbaikes são guardas quando não estão a circular, e é lá que a Rail Bike Marvão recebe os railbikers.

Será lá também, no bar que integra a estrutura de apoio que, enquanto se espera o inicio do programa ou no regresso de uma das propostas, que se lança a expectativa da saída ou se começa a compilar os momentos da jornada.

A aposta Railbike Marvão inicia-se com três pessoas e 5 veículos (10 pessoas), mais a rail bike dos guias, para realizar as saída dos dois percursos.

O interessados em conhecer e experimentar a experiência já o podem fazer. Para booking de viagens ou outras questões a Rail Bike Marvão está acessível por email railbikemarvao@gmail.com ou via móvel +351 912 987 639 .