free web
stats

Transporte Ferroviário Regional no Alentejo

evora 04A ferrovia alentejana como base para a coesão social, criação de postos de trabalho e desenvolvimento económico da região e do país, será alvo de reflexão esta semana. A proposta remete para dois seminários a ocorrerem em Évora e Lisboa.

O modo de transporte marca presença, primeiro a 25 de Outubro, na Universidade de Évora, depois no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa a 26 Outubro.

A perspectiva do seminário de Évora remete para “A Rede Ferroviária, O Interesse Nacional e o Desenvolvimento do Alentejo”.

Assinala-se no painel principal a presença de Elio Bernardino – Mestre em Engenharia de Estruturas-Plano Ferroviário do Alentejo(Rede, serviços, material circulante, exploração e segurança); Eloïse Libourel, Investigadora Associada do LVMT-Laboratoire Ville Mobilité Transport (Ecole Nationale des Ponts et Chaussées, France). (Potencialidades da geografia da ferrovia regional); Bruno Faivre D’Arcier – Engenheiro, Economista, Professor Emérito da Universidade de Lyon 2. (Economia e finanças do transporte ferroviário regional).

Como ponto de partida, assente na ferrovia, estará a afirmação da estratégia Aeroportuária do Alentejo, acessibilidades do Porto de Sines ao seu hinterland, a valorização do Alqueva, e o potenciar do Turismo.

A reflexão chega a Lisboa no dia seguinte para ter lugar no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa a 26 Outubro, com a realização do “Seminário: Transporte Ferroviário Regional no Alentejo acessibilidades, sustentabilidade e território”.

Assinala-se, no painel principal, a participação de Manuel Tão, Investigador a Universidade do Algarve (Potencialidades do sub-sistema ferroviário eaeroportuário do Alentejo); Fernando Nunes da Silva, Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico (Acessibilidade ferroviária e ordenamento do território e urbanismo); Eloïse Libourel, Investigadora Associada do LVMT-Laboratoire Ville Mobilité Transport na École Nationale des Ponts et Chaussées, Paris (Potencialidades da geografia da ferrovia regional); e Bruno Faivre D’Arcier, Professor Emérito da Universidade de Lyon 2 (Economia e finanças do transporte ferroviário regional).

A recuperação do sub-sistema ferroviário do Alentejo será o ponto de partida e terá como referência “uma nova visão estratégica das acessibilidades regionais, nacionais e internacionais, permitindo afirmar o Aeroporto de Beja como complemento aos aeroportos de Lisboa e de Faro e melhorar a acessibilidade do Porto de Sines ao seu hinterland”.

“O aproveitamento desta infraestrutura estratégica e operacional, quer no tráfego de passageiros, quer no de mercadorias, servirá da melhor forma o modelo policêntrico da Região do Alentejo e do País”.

Na base da reflexão proposta pelo dois seminário está a Plataforma Alentejo. Conta com o apoio do núcleo regional na acção de dia 25 e da  Rede Mov/Universidade de Lisboa no dia 26.