free web
stats

Ferroviários reformados apertam o “cerco” ao CG da CP

reformados2Ferroviários reformados marcaram para o próximo dia 9 de Maio uma concentração em frente às instalações da Administração da CP. EPE nas Escadinhas do Duque, 20 em Lisboa, – a partir das 11 horas.

Os ferroviarios reformados reivindicam o direito ao transporte, conquistado com uma vida de trabalho, que consta no acordo de rescisão feito por muitos que saíram nos últimos tempos das empresas do sector.

A comissão central dos ferroviários reformados emitiu um comunicado cujo o teor transcrevemos:

“Dada a gravidade do “roubo” executado por este governo e seus mandatários aos ferroviários, e em especial aos reformados e seus familiares roubando-lhes as suas concessões de viajem “que funcionavam como o seu estatuto social na empresa”.

  1. Face ao exposto, a comissão central dos reformados ferroviários decidiu pedir no dia 2 de Abril uma reunião ao conselho de gerência da CP com carácter de urgência para tratar dos problemas dos reformados e dos seus familiares. Moral da questão, logo que foi recebida a missiva, o CG da CP, no sentido de inviabilizar a cedência da reunião, ordenou de imediato contactar com a comissão de reformados via telemóvel a dizer que todos os reformados e pensionistas iam receber um ofício tipo.
  2. Perante o facto consumado, no dia 11 de Abril uma delegação da comissão central de reformados tentou reunir com o CG da CP; esta reunião não se concretizou pelo facto do CG da CP ter descentralizado a reunião do conselho para o Porto.
  3. Dai termos sido informados que o senhor presidente estaria disponível para nos receber, logo de imediato marcamos nova reunião para o dia 16 de Abril, apesar de não haver confirmação, hoje fomos surpreendidos  pela   impossibilidade   de   agenda   do   senhor presidente e com a informação verbal de que após ter sido enviada a carta a todos os reformados e pensionistas, nada mais tinha para nos adiantar, o que vem a reforçar o nosso argumento inicial referido em 1.
  4. Ora, nós não nos conformamos com desculpas esfarrapadas e vamos propor na reunião mensal da comissão central dos reformados, agendada para o dia 26 de Abril, de que, se ate essa data não formos convocados pelo CG da CP os reformados e seus familiares no dia 9 de Maio marcham todos rumo a Lisboa munidos dos seus “merendeiras” e irão assentar “arrais” junto ao conselho de gerência da CP a fim de exigir que os seus dirigentes sejam recebidos para a resolução dos seus problemas.
  5. No comunicado resposta ao CG da CP á carta enviada aos reformados e pensionistas, deve além da contestação devidamente fundamentada, constar em rodapé a decisão saída da reunião da comissão centrai dos reformados a proposta de acção de luta marcada para o dia 9 de Maio frente ao conselho de gerência da CP.”