free web
stats

Novo Sistema ATM em implementação na NAV

setAdjuntoDepois de ter rubricado, em Setembro de 2018, o acordo com que selou a entrada na Aliança COOPANS para implementar um novo sistema de gestão do espaço aéreo nacional, a NAV deu a conhecer esta quarta-feira a plataforma, calendário e valores da modernização.

A implementação da nova solução de gestão do tráfego aéreo civil português, avaliada em 103 milhões de euros, deverá estar implementada e a correr no terreno em 2024.

Com a modernização, que deverá ocorrer com recurso a capitais próprios, a NAV estima para o sistema aeroportuário de Lisboa um incremento de 575 slots por dia.

O número deverá subir a capacidade máxima de movimentos por hora para 76. 46  movimentos no aeroporto Humberto Delgado, 24 no Montijo e 2 em Cascais.

Valores alicerçados no acordo entre parceiros da operação aeroportuária a selar e substituição do Sistema ATM em utilização na NAV pela solução em desenvolvimento e exploração na Aliança COOPANS.

 

.

O Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, marcou presença na sessão de apresentação da NAV sobre o processo de modernização da gestão do tráfego aéreo civil português em curso.

À webrails.tv destacou alguns do aspectos teve oportunidade de ver e ouvir sobra a nova solução:

Na apresentação o governante do ministério das Infraestruturas e da Habitação deixou algumas palavras de reconhecimento à actual gestão e empresa pública.

Saudou o esforço da NAV no acomodar, nestes últimos anos, do crescimento de 50% no tráfego aéreo e 80% no número de passageiros.

E ir ao encontro, com receitas dos serviços que presta e sem onerar o Orçamento de Estado, das expectativas futuras do sector.

.

NAVHaverá mexidas na arquitectura do Sistemas ATM em uso pela NAV na gestão do espaço aéreo.

Entra em cena o projecto TOPLIS, cenário em que o LISATM em utilização será descontinuado, para começar a correr o TOPSKY ATC (84.7M€).

As torres de controlo de Lisboa, Porto, Faro, Funchal, Porto Santo, Cascais e Montijo, serão alvo de modernização (12.1M€) dentro da tecnologia TOPSKY TWR.

No aeroporto de Lisboa será construída (2.5€+4.5€) nova sala de comando e nova torre de controlo.

O valor das obras de construção civil da torre ainda está por fechar. A altura ou a profundidade dos alicerces irá determinar o orçamentado.

Sobre o investimento, também caminho escolhido, o presidenta da NAV, Ponce Leão referiu que acredita que irá deixar a NAV, uma vez que está de saída, com capacidade para responder ao futuro.

Quer com ferramentas para gerir o espaço aéreo português, quer para responder a tendências que vão surgir e regular o espaço europeu.

Por outro lado, referiu um quadro da empresa à webrails.tv, a escolha da Aliança COOPANS irá permitir à NAV colaborar na desenvolvimento tecnológico do sector.

Detalhe evidenciado na apresentação dos componentes do projecto TOPLIS. Há tecnologia portuguesa na solução TOPSKY TWR que poderá ser comercializada em outras geografias.

Outros dos aspectos evidenciados na opção pela COOPANS é que esta escolha, ao contrário de outras, não coloca a NAV como cliente. O sistema é escalável, mas em causa está ser parceiros no desenvolvimento.