free web
stats

Alemanha : Recordes de pontualidade, tráfego e investimento

Die modernste ICE 3-Generation: Der Velaro D / The latest ICE 3 generation: The Velaro DHistoricamente, a Deutsche Bahn (DB) operadora ferroviária integrada pública alemã sempre foi muito criticada pela pontualidade dos seus serviços de Longo Curso que em média ronda os 70%.

Já há vários anos que na companhia se tinha fixado o objetivo de 85% de pontualidade no Longo Curso sem nunca o atingir. Em 2018, a tendência até foi a oposta : a pontualidade continuou a cair. Todavia, desde o início deste ano que os indicadores estão a melhorar.

Em comunicado, a empresa realça os números de Maio de 2019. A pontualidade atingiu os 79,8%, desde 2012 que no mês de maio não se verificavam níveis de pontualidade idênticos ou superiores.

Melhor coordenação das intervenções de manutenção e modernização efetuadas pela subsidiária DB Netz é a razão apontada pela empresa num cenário de acréscimo da oferta de Longo Curso. Também é realçada a melhoria na disponibilidade da frota de material circulante.

Para Richard Lutz, Presidente da DB : “O nosso programa “Better Track” tem um impacto significativo : todavia, mesmo com um número de obras recorde na rede e níveis de procura nunca antes vistos nos nossos ICE e IC/EC, a nossa pontualidade evidência uma progressão assinalável”

Procura atinge níveis históricos

Mesmo se a qualidade do serviço teve globalmente uma evolução negativa nos últimos anos, a procura continua o seu crescimento.  Em 2018, nos comboios de Longo Curso, foram transportados 148 milhões de passageiros (+4%) e a empresa aponta a ultrapassagem da meta dos 150 milhões de passageiros para este ano.

Em apenas 4 anos a procura passou de 129 milhões de passageiros, em 2014, para quase 150 milhões de passageiros o ano passado, um aumento de 20 milhões.

A rececção dos novos ICE 4, depois de uma série de conflitos entre a DB e a Siemens, e dos IC 2 da Bombardier compostos por composições push-pull double-deck com locomotivas BR146, tem permitido aumentar e melhorar a oferta, o que naturalmente estimula a procura.

Para Richard Lutz, Presidente da DB : “Em 2019, estaremos em capacidade de acolher mais de 150 milhões de passageiros nos serviços de Longo Curso. O transporte ferroviário representa a protecção do meio ambiente porque o Caminho de Ferro é o único verdadeiro meio de transporte “verde”. Estamos no bom caminho para atingir o objetivo dos 200 milhões de passageiros no Longo Curso em 2030.”

Também nos serviços suburbanos e regionais a procura aumentou com 2,6 mil milhões de passageiros em 2018, mais 17 milhões do que no ano anterior.

O tráfego da DB Regio (que gere os suburbanos e regionais) aumentou 1,9%, o que mostra um abrandamento face ao Longo Curso.

Aumento dos investimentos

Para responder à procura a administração da DB aponta três eixos de intervenção : a infraestrutura, o material circulante e o pessoal.

Globalmente, em 2018, com o apoio do Estado Federal, a despesa de investimento atingiu novos patamares com 11 mil milhões de euros, mais 7% do que em 2017.

A maioria dos investimentos foram dedicados à DB Netz, gestora da infraestrutura, que recebeu 62%.

Foi assim executado na integra o plano de investimento na infraestrutura, que inclui nomeadamente renovações de vias, de AMVs, de obras de arte e de catenária para manter a performance da rede.

Além disso, a digitalização do comando-controlo da circulação e a desaturação dos principais nós ferroviários mereceu especial atenção.

Do lado do material circulante, a despesa foi principalmente destinada ao Longo Curso com os ICE4 e os IC2. Os serviços regionais e suburbanos continuaram a receber material novo incluído nos contratos-quadro em vigor.

A nível do pessoal houve um esforço para recuperar os níveis de serviço. Foram contratados 24 mil trabalhadores, o que permitiu substituir todas as saídas mas também aumentar os efetivos em 5 500 pessoas.