free web
stats

Liberalização : Grupo FS concorre com a SNCF

Comboio noturno Thello em França

Comboio noturno Thello na Itália.

O Grupo FS comunicou à ARAFER, regulador francês, a intenção de iniciar ligações próprias de Alta Velocidade entre Paris e Milão a partir de Junho de 2020.

A exploração será feita pela empresa Thello, detida a 100% pela Trenitalia, esta última sendo detida a 100% pelos FS, que já explora uma ligação noturna entre Paris e Veneza e comboios EuroCity no litoral sul da França.

O objetivo é lançar duas ida/volta diárias, duração de cerca de 7 horas, com o mesmo regime de paragens que a atual oferta da SNCF no eixo em questão.

Todavia, a Trenitalia não vai esperar pela liberalização do mercado interno de passageiros que entra em vigor a partir de Dezembro de 2020.

Por consequente, a ligação deverá respeitar os moldes da liberalização do tráfego internacional em vigor desde 2010 tal como os restantes serviços da Thello.

Isso significa que a empresa venderá bilhetes entre Paris e Itália e a nível interno, só o poderá fazer para as ligações Paris-Lyon e Lyon-Itália, pelo menos até Dezembro de 2020.

A Trenitalia sublinha que a clientela italiana é o principal alvo deste novo serviço. Mas, tendo em conta o tempo de percurso total, a ligação Paris-Lyon, primeira ligação de Alta Velocidade francesa em termos de tráfego, é provavelmente o principal objetivo da operadora Italiana.

Esta ideia sai reforçada quando analisamos as faixas horárias requeridas pela operadora. O primeiro comboio partiria de Paris às 7 horas da manhã para chegar às 9 horas a Lyon Part-Dieu. Em sentido inverso, efetuaria paragem em Lyon às 20 horas da tarde para chegar a Paris às 22 horas.

Estes horários parecem ter como alvo os trabalhadores e os empresários que efetuam o trajeto Paris/Lyon regularmente.

A gestão do acesso às estações de Paris Gare de Lyon e Lyon Part-Dieu, particularmente saturadas, e à LAV Paris/Lyon por parte da SNCF Réseau será observada de perto pelo regulador.

Este serviço, na Trenitalia, é visto como um teste. Se o mercado responder de maneira positiva, a empresa já está a equacionar outros eixos importantes da rede de Alta Velocidade Francesa e Europeia. Fala-se do eixo Paris/Bordéus e Paris/Bruxelas.

SNCF_InOui

Upgrade para o serviço TGV InOui

SNCF prepara o terreno

A SNCF, operadora pública francesa, já tinha previsto este cenário. Dai ter segmentado a sua oferta de Alta Velocidade.

De um lado ficou o serviço low-cost Ouigo, em expansão acelerada, e do outro o serviço TGV InOui que promete prestações de alto nível.

O objetivo é ter estes dois serviços alargados a todos os principais eixos no final de 2020.

De maneira semelhante, no eixo Paris/Bruxelas, a empresa pública preparou o terreno.

A Thalys, operadora controlada pela SNCF que efetua ligações França/Bélgica/Holanda/Alemanha, efetuou um upgrade aos seus serviços (as suas unidades estão atualmente em renovação).

Também lançou o serviço Izy, primo do Ouigo, com composições inutilizadas fornecidas pela SNCF, primeiro uma unidade TGV Réseau e atualmente um TGV TMST (ex-Eurostar). No entanto, as unidades usadas neste serviço não foram modificadas para “Alta Densidade” como tal continuam com os mesmos interiores do que nos seus serviços anteriores.

Além disso, a Izy vai mais longe ao oferecer bilhetes “sem garantia de lugar sentado” a partir de 10€ e bilhetes de “Strapontin” a partir de 15€. O serviço Izy representa o pensamento low-cost aplicado até ao extremo.

Comboio Frecciarossa 1000

Comboio Frecciarossa 1000

Grupo FS compra mais comboios de Alta Velocidade

Quase em simultâneo com o anúncio da nova ligação internacional, o que não pode ser mera coincidência, a Trenitalia levantou uma opção ao contrato em vigor com a Hitatchi e a Bombardier para fornecer mais 14 Frecciarossa 1000 e a respetiva manutenção por um periodo de 10 anos.

O contrato ascende a 575 milhões de euros.

Cada automotora tem 200 metros de comprimento, uma capacidade de 460 passageiros e vai disponibilizar quatro classes : Standard (300 lugares), Premium (76 lugares), Business (69 lugares) e Executive (10 lugares).