free web
stats

SNCF lança o primeiro “assistante de mobilidade” da Europa

A SNCF anunciou esta terça-feira 18 de junho o que será, provavelmente, a maior atualização de sempre da sua aplicação iOS e Android. A app SNCF passa a chamar-se “Assistant SNCF” e vai integrar a informação teórica e em tempo real, os pagamentos e as validações de todos os meios de transportes coletivos de França.

A pesquisa de itinerários

Atualmente, a app SNCF disponibiliza a pesquisa de itinerários para todos os serviços da empresa e alguns operadores de transporte público, informação em tempo real (supressões, atrasos, vias de partida, etc) e as compras de bilhetes de comboio.

sncf corailAgora, a companhia ferroviária acelera, e a partir desta quarta-feira, passa a disponibilizar a pesquisa de itinerários para todos os serviços ferroviários de França, os transportes públicos de todas as cidades com mais de 100 000 habitantes (cerca de 500), os serviços de TVDE (Marcel, LeCab, SnapCar e Karhoo), os serviços de scooters partilhados (Cityscoot e Felix) e o serviço de boleia de curta distância BlaBlaLines (da BlaBlaCar, onde a SNCF entrou no capital recentemente). Nos serviços TVDE, a Uber só estará disponível em finais de 2019.

Os serviços de bicicletas e de trotinettes partilhadas só deverão ser adicionadas em 2020. Oficialmente, a SNCF espera que esses mercados “amadureçam”.

O objetivo da empresa, é que a app SNCF se torne o ponto central da mobilidade coletiva (ou seja excluindo o carro próprio) em França.

Se é uma grande jogada de marketing, depois das greves prolongadas do ano passado, também será uma maneira de indiretamente atrair mais passageiros para os serviços ferroviários e de transporte público. Graças à possibilidade de efetuar trajetos multimodiais em total fluidez não necessitará de instalar dezenas de aplicações separadas.

Nos transportes públicos, a maior perca de competitividade face ao transporte indivual, não se encontra localizada nos tempos de percurso propriamente ditos, mas sim, no tempo que se perde ao mudar de um transporte para o outro. O que é particularmente verdade nas cidades portuguesas e ainda mais no interior.

Mesmo se a reestruturação dos sistemas de passes deu o primeiro passo com uma integração tarifária para as deslocações regulares (fica por fazer a integração dos bilhetes ocasionais … ), a intermodalidade continua a ser o grande ponto fraco em Portugal. E é com esta constatação que a SNCF lançou este projeto.

A compra e a validação das deslocações

Mas a principal revolução é mesmo no pagamento desses serviços, que poderão ser efetuados a partir da app SNCF, com uma conta única. A “SNCF Connect”.

Ou seja, uma viagem de comboio + uma deslocação de transporte público + uma viagem de TVDE será paga a partir da app SNCF sem complicações.

Se no que toca à pesquisa de itinerários, a aplicação cobre a grande maioria da população e dos serviços de transporte, no pagamento não é assim.

Obviamente, a partir desta quarta-feira, o pagamento dos serviços ferroviário continua disponível a partir da conta única SNCF Connect). Além disso, ficam imediatamente disponíveis o pagamento nos transportes públicos de Estrasburgo (CTS) com a validação das deslocações por NFC incluída, os autocarros diretos entre os aeroportos da região de Paris e o centro da cidade e os TVDE da Karhoo.

Até final deste ano, vão estar disponíveis os pagamentos integrados na Uber, na BlaBlaLines, na rede de transportes públicos de Paris (pagamento e validação NFC). A validação por NFC também estará generalizada a toda a rede TER.

Durante o ano de 2020, o objetivo é integrar os serviços de bibicletas e trotinettes partilhadas e alargar ao máximo de redes de transporte público o pagamento e validação por NFC.

“Um passo de gigante”

A SNCF, com esta novidade, dá um passo de gigante e ultrapassa grandes empresas como a Google (com o Google Maps) ou a Citymapper.

Aliás, o objetivo sempre foi esse, assumido pelo Presidente da SNCF, Guillaume Pepy, para impedir que os dados das empresas de transporte público tenham de “cair” nas mãos dos gigantes americanos.

No seguimento dessa lógica, a base de dados e o motor de pesquisa da SNCF vão estar disponíveis em “marca branca” às autoridades de transporte público (regiões, cidades, áreas metropolitanas, etc).

Segundo Guillaume Pepy, Presidente da SNCF, “Com o Assistente, SNCF reforça o seu lugar de lider europeu das mobilidades ao criar um ecossistema aberto, transparente, permitindo deslocações mais inteligentes, multimodais, respondendo às necessidades dos Franceses”

Segundo Alexandre Viros, DG de e-voyageurs SNCF, “Hoje em dia, existem aplicações para cada meio de transporte, mas nenhuma disponibiliza um ponto único de acesso às diferentes ofertas para se informar e comprar bilhetes. Com o Assistente SNCF, lançamos uma resposta inovadora para simplificar as deslocações de todos os nossos clientes. As evoluções tecnológicas implementadas na aplicação vão permitir acolher os nossos parceiros, de mobilidade e regionais para disponibilizar uma oferta multimodal, ao serviço da mobilidade sustentável, partilhada e coletiva.”