free web
stats

Ramal de acesso ao Porto de Luanda reactivado

 Untitled-4Em comunicado libertado no dia 8 de Maio, o operador ferroviário angolano Caminhos-de-ferro de Luanda (CFL) deu conta do sucesso da 1ª marcha ferroviária entre a Estação do Bungo e o Porto de Luanda.

A marcha de testes realizada consistiu num comboio formado pela locomotiva ” nº 1701 e 10 porta-contentores de 40″. A composição destinou-se  a verificar as condições circulação, no acesso e  interior do Porto de Luanda. “Tratou-se de verificar as condições do ramal agora reactivado, como constatar as condições de circulação ferroviária no feixe de linhas existentes no interior do Porto de Untitled-3Luanda“, indicou fonte do CFL que participou na  “histórica marcha”  à webrails.tv . Lobo do Nascimento PCA do CFL, também esteve presente, e acompanhou a normalidade em que decorreu a 1ª circulação pelo ramal.

A construção de um viaduto, e entrada em funcionamento na véspera da circulação, foi apontado pela fonte do CFL, como um dos motivos para o ramal se tornar completamente operacional, “nas vésperas, foi inaugurado o novo viaduto rodoviário que veio permitir o restabelecimento da ligação ferroviária.” 

Untitled-1Recorde-se que o restablecimento do acesso ferroviário ao porto de Luanda era apontado para março deste ano. E nesse altura era também referido o importante incremento que o tráfego de mercadorias do porto de Luanda podia  gerar  para as contas do CFL. “As empresas ferroviárias só são sustentáveis quando começarem a fazer transporte de grandes quantidades de carga.”, referia então Lobo do Nascimento, o PCA do CFL, no contexto da ligação ferroviária ao porto.

Com este acontecimento, e após a recente ligação entre as estações de Textang e do Bungo, fica reposta a circulação ferroviária em todos os troços dos eixos ferroviários reabilitados da responsabilidade do CFL. À já operacional rede de passageiros entre  Bungo e Malanje, e ramal Untitled-2de Zenza/Dondo. Abre-se esta rede ao transporte de mercadorias. Com a entrada do ramal de acesso ao Porto de Luanda desde o Bungo ao serviço, a malha ferroviária do CFL fica aberta à circulação para serviços de transporte de mercadorias de importação e exportação, em particular de carga contentorizada.