free web
stats

Arduino: breve introdução.

Logotipo da Arduino.No artigo DCC: Como e porquê? introduziu-se o conceito do DCC e as várias vantagens para o modelismo ferroviário. Como foi referido, não passa de uma variação de frequência que varia consoante as mensagens que sejam transmitidas. Ora, sendo este o princípio básico do DCC, um dos objectivos de vários modelistas e entusiastas tem sido o uso da recente tecnologia da Internet das Coisas (IoT) para alcançar vários tipos de automatismos nas maquetes. De uma forma mais resumida: a utilização do Arduino para controlo dos comboios, luzes, maquetes, etc. Mas então, o que é o Arduino?

Este projecto foi iniciado na cidade italiana de Ivrea, em 2005, que não tinha verbas suficientes para obter sistemas de prototipagem existentes na época. A ideia era que as escolas tivessem acesso a estes sistemas para testes e desenvolvimento de várias aplicações electrónicas. De uma forma a conseguir que fornecer estes equipamentos às escolas, tendo atenção aos custos para tal, o projecto Arduino foi desenvolvido e, até Outubro de 2008, já tinham sido vendidas mais de 50000 placas. O que tornou este projecto bastante apelativo foi a facilidade de usar a electrónica para qualquer tipo de ideias. Com um simples microcontrolador Atmel (normalmente é o Atmega 128p ou Atmega 328p, sendo este último o mais usado e com mais características), uma linguagem de programação acessível e prática (fugindo à complexidade da linguagem C tradicional), a possibilidade de expansão através dos shields e, principalmente, preços bastante acessíveis, o Arduino expandiu-se para todo o mundo, tendo agora milhões de seguidores e interessados. A expansão foi de tal forma que, hoje em dia, qualquer área (agricultura, saúde, educação, transportes, etc) usa estes pequenos aparelhos para muitas das suas actividades. A evolução dos próprios componentes também permitiu produzir peças que liguem à internet (via Wi-Fi) e ao telemóvel (via Bluetooth). É um projecto que está em expansão, e que pode ser consultado na página oficial aqui. Ao mesmo tempo, na Wikipédia, também têm várias informações e, em especial, um pequeno código que mostra o quão simples é programar um LED para piscar.

Tal como foi referido, estas peças servem para tudo, incluindo para o modelismo ferroviário. No caso do controlo de luzes e sinais, a programação é bastante simples e, normalmente, não necessita de nenhum acrescento a nível de hardware. No caso do controlo dos comboios, existem ferramentas, como o DCC++, que fornecem tudo para que seja possível controlar os comboios através do Arduino (o Uno - é o primeiro produto deles e representado na fotografia abaixo) e o shield L298P, por exemplo . Nos próximos artigos irão ser feitas pequenas demonstrações com estes produtos (desde o material necessário até ao código para controlar os comboios).Arduino Uno