free web
stats

A SNCF divulga os seus resultados do primeiro semestre

A SNCF, companhia ferroviária estatal francesa, divulgou os seus resultados financeiros do primeiro semestre.

Podemos reter, um acréscimo significativo, surpreendente até, da procura, investimentos que continuam massivos e uma situação financeira sustentável do lado da SNCF Mobilités (serviços de transporte) mas estruturalmente desequilibrada na SNCF Réseau (gestor de infraestruturas).

Procura e receita

Depois de um ano de 2018 marcado por uma longa e desgastante greve contra a reforma ferroviária do governo Macron, a procura volta a registar aumentos significativos. Em 2017, já se tinha registado aumentos deste tipo nos serviços de Alta Velocidade.

A agressividade da empresa, uma maior consciência ambiental e novas taxas sobre o transporte aéreo também podem explicar estes aumentos.

Devido à greve, a empresa divulgou os aumentos de passageiros em relação ao primeiro semestre de 2017.

Nos serviços de Alta Velocidade regista-se +10,5%, sobretudo devido à expansão do serviço low-cost Ouigo que tem sido um sucesso comercial. O crescimento do serviço low-cost da Thalys, o IZY, entre Paris e Bruxelas mostra-o com +22% sem acréscimo significativo da oferta.

Todavia, pode-se questionar a reinvenção de uma “terceira classe”, 70 anos depois do seu fim nos caminhos de ferro franceses. O facto destas circulações Ouigo muitas vezes se substituirem a TGVs “normais”… estes acessíveis às assinaturas, é outro assunto polémico no meio ferroviário francês.

Nos serviços públicos regista-se +4,3% nos Transilien (suburbanos da região de Paris), o crescimento médio habitual das últimas décadas, e +15,9% nos TER, serviços regionais e suburbanos fora de Paris.

Este crescimento dos TER começou em 2017 depois de alguns anos de queda na procura. Não é muito fácil de explicar, mas provavelmente está ligado as melhorias introduzidas no ambito do plano “CAP TER 2020″ que está a ser implementado pela SNCF desde 2016.

A Keolis, operadora de transporte urbanos, regista +11,9% de receita, depois de vários novos contratos ganhos em diversos países do mundo.

No caso da receita da SNCF Logistics, o transporte rodoviário de mercadorias continua em alta, +6,9%, já o transporte ferroviário continua a sua queda interminável (que dura desde 1974) com -1,3%.

A gestora das estações, Gare & Connexions, regista +10,9% de receitas, principalmente devido ao aumento das receitas comerciais dos espaços das estações.

Investimentos

Os investimentos continuam em alta e segundo os planos previstos. 2019 deverá ser um ano histórico, sendo o primeiro onde os investimentos totais vão ultrapassar os 10 MM€.

Neste primeiro semestre registam-se 4,3MM€, para a infraestrutura (modernizações e renovações) foram reservados 2,4MM€ e para o material circulante 1,9MM€.

Neste periodo foram recebidas 56 novas unidades, sendo 18 Regio2N, 10 Francilien, 22 Regiolis e 6 TGV EuroDuplex 3UFC “Océane”.

Qualidade do serviço

A SNCF nota um aumento da satisfação dos clientes, ao seu mais alto nível global, 77% nos TGV e 74% nos TER.

Todavia, no quotidiano continuam a ser muitas as críticas dos passageiros à empresa. Até se nota, na comunicação social, uma evolução negativa da avaliação que os franceses fazem dos serviços da sua empresa pública.

A empresa continua a cumprir os seus planos de recrutamento com 6400 contratações neste primeiro semestre.