free web
stats

O lado obscuro dos acidentes de trabalho. Um estudo de caso no Setor Ferroviário

65641_10200757151347084_1644283369_n Livro “O lado obscuro dos acidentes de trabalho – Um estudo de caso no setor ferroviário”, da autoria de JOÃO AREOSA, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, tem lançamento marcado para o próximo dia 14 de Junho, às 18h30, na Livraria Centésima Página, em BRAGA. À apresentação segue-se uma  sessão de autógrafos,

“O presente trabalho pretende refletir sobre as causas não imediatas dos acidentes de trabalho. Assim, o âmbito desta investigação deve ser entendido como um complemento ao conhecimento anteriormente produzido nesta temática. É pertinente ter em conta que as múltiplas interações no mundo atual são tão complexas que, por vezes, torna-se difícil compreender como é que determinados acontecimentos podem estar na origem de outros.
Neste estudo são apresentados alguns exemplos de como fatores ou situações aparentemente sem qualquer ligação podem surpreendentemente estar tão próximos que até provocam acidentes.
Qual será a relação entre a lei que proíbe fumar no interior dos edifícios e os acidentes de trabalho quase fatais? São exemplos deste tipo que são debatidos ao longo deste trabalho. É verdade que as causas e circunstâncias de certos acidentes podem parecer, simultaneamente, inantecipáveis e desconcertantes, no entanto, não deixam de ser reais. Para compreender determinados acidentes de trabalho é obrigatório ir além das tradicionais causas materiais ou humanas; ou seja, é preciso saber interpretar os fatores sociais que possibilitam a sua ocorrência. Resumidamente, este livro aborda o lado menos visível da sinistralidade laboral, a partir dos resultados de uma investigação realizada numa empresa de transportes públicos urbanos do ramo ferroviário. Após serem revelados os principais riscos ocupacionais desta organização, foi efetuada uma análise aprofundada dos acidentes de trabalho aí existentes. Todas as categorias profissionais da organização foram observadas, embora se tenha dedicado maior atenção àquelas que revelaram maior incidência de sinistralidade e onde os riscos ocupacionais foram considerados mais elevados (o que, por consequência, levanta maiores preocupações)” (Areosa, 2013).”

Ficha Técnica:
Autor: João Areosa
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 199
Editor: Edições Húmus
ISBN: 9789898549495

João Areosa – nota biográfica

Licenciado em Sociologia, pós-graduado em Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, mestre e doutor em Sociologia do Trabalho pelo Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Investigador no CICS-UMinho. Docente do Instituto Superior de Línguas e Administração (ISLA). Formador nas áreas de segurança ocupacional. Membro do conselho editorial da revista Segurança Comportamental.  Membro da estrutura organizativa da Rede de Investigação sobre Condições de Trabalho (RICOT). Membro do conselho de edição no International Journal of Working Conditions. Autor de dezenas de artigos científicos relacionados com as áreas do risco e dos acidentes.

fonte: http://cics.uminho.pt