free web
stats

Fertagus implementa um novo horário

img: Fertagus

img: Fertagus

No seguimento do aumento significativo da procura desde o mês de Abril, com a entrada em vigor do novo sistema tarifário na Área Metropolitana de Lisboa (AML), cerca de 20%, a Fertagus vai implementar um novo horário a partir do dia 16 de Setembro de 2019.

Convém notar que o aumento de passageiros é uma tendência que prossegue há já alguns anos, seja na CP (desde 2014) ou na Fertagus (desde 2016), e que tem colocado pressões adicionais na capacidade de resposta das empresas. Por consequente, o novo sistema tarifário da AML só veio reforçar os aumentos sucessivos que se verificavam há vários anos.

No entanto, só este ano é que as duas empresas terão recuperado os níveis de procura “pré-crise” (antes de 2010, quando começou a queda abrupta da procura).

As novidades do horário

As melhorias estão, principalmente, ou melhor quase unicamente, centradas nas horas de ponta, onde desde Abril se verificam cenários, em alguns comboios, caóticos.

Primeiro, o número de comboios duplos (8 carruagens, UQE+UQE) foi aumentado, passando a abranger a quase totalidade dos comboios programados nas horas de ponta (7h-9h30 e 16h-19h). No entanto, houve necessidade de programar dois comboios simples com destino ao Fogueteiro, e de encurtar alguns comboios de duplos para simples. Mas no final, o balanço é positivo com um maior número de comboios duplos.

A segunda melhoria foi o reforço da oferta no troço Coina – Setúbal que ao longo do tempo foi sempre um troço algo desvalorizado.

Nas horas de ponta foram prolongados alguns comboios a Setúbal com o objetivo de fornecer um serviço cadenciado à meia-hora para aquela cidade.

Assim sendo, na hora de ponta da manhã, há um novo comboio para Setúbal com partida às 7h13 de Roma – Areeiro, passando a haver frequência de meia em meia hora entre as 6h43 e as 7h43.

Na hora de ponta da tarde, há novas partidas para Setúbal a partir de Roma – Areeiro às 16h13 e 17h13, passando a haver frequências de 30 e 30 minutos entre as 16h13 e as 20h43.

Também há um novo comboio para Setúbal às 13h03, fora da frequência dos restantes comboios com o objetivo de servir os alunos do politécnico de Setúbal. Para horários suburbanos, é negativo inserir comboios fora da cadência, para os passageiros torna-os menos legíveis.

Sendo isto feito fora da hora de ponta, num dos períodos com disponibilidade de material circulante, torna a decisão discutível. Tendo em conta, que houve um momento em que se falava numa generalização das frequência de meia em meia hora para Setúbal durante todo o dia, o que representaria uma melhoria significativa da oferta e da sua atratividade.

Mais oferta com o mesmo material circulante

Img : Fertagus

Img : Fertagus

Há de facto mais oferta, todavia, esta não foi aumentada nos períodos centrais da hora de ponta onde já se usava toda a frota no limite. Estes períodos foram prolongados e antecipados.

Por exemplo, atualmente, na hora de ponta da tarde as frequências de 10 em 10 minutos começam às 16h43, todavia o máximo número de comboios duplos só eram atingidos a partir das 17h43. Nos novos horários os comboios passam quase todos a duplos logo a partir das 16h53.

Assim sendo, o aumento em termos de comboios-km é marginal, correspondendo principalmente aos novos serviços prolongados a Setúbal.

O aumento da oferta principalmente com recurso a mais comboios duplos durante toda a extensão da hora de ponta permite também produzir uma maior oferta de lugares com sensivelmente o mesmo número de maquinistas.

Todavia, o número de trabalhadores nas áreas operacionais foi reforçado para poder cumprir estas nova oferta. No dia 29 de Agosto, acabou o recrutamento de 22 auxiliares comerciais para reforçar o apoio nas estações. Também foram admitidos, internamente, novos maquinistas.

Os limites destes novos horários

Estes horários vão resolver as situações de insuficiência da oferta nos períodos limítrofes das horas de ponta. No entanto, no período central da hora de ponta a oferta continua a mesma, devido a frota de material circulante que é usada no limite, logo nestas partes do dia, a oferta continuará a ser notoriamente insuficiente para responder à procura, cuja tendência crescente não parece parar.

Img : AML

Img : AML

A AML, está preparar novas medidas de integração das redes de transporte público, por exemplo com as novas concessões rodoviárias integradas na marca única “Carris Metropolitana” que reforçarão de maneira significativa a oferta no transporte rodoviário fora de Lisboa em rebatimento com os meios de transporte pesados, como o ferroviário, o que provocará novos acréscimos de procura.

Se a CP se prepara, nos suburbanos de Lisboa, para responder à procura com a recuperação das unidades que estavam encostadas, a Fertagus não tem essa possibilidade.

A Administradora delegada da Fertagus, Cristina Dourado, em entrevistas concedidas na altura da implementação do novo sistema tarifário tinha avançado três medidas para fazer face ao aumento da procura :

  • Novos interiores com menos lugares na suas UQEs. Depois da experimentação na UQE 3515, parece que a implementação encontra-se suspensa;
  • Novos horários (implementados agora);
  • Adição de uma quinta carruagem às 18 UQEs pelo fabricante, a Alstom. Esta medida de médio prazo deverá aumentar de forma significativa a capacidade de resposta da empresa. Todavia, a sua implementação durará vários anos, se for viável.