free web
stats

SNCF dinamiza “pequenas” estações

sncf-cartaz-1001garesO programa e os seus objetivos

Com o objetivo de dinamizar as centenas de “pequenas” estações que a SNCF tem foi lançado um novo programa chamado “1001 Gares” ou seja “1001 estações”.

Este programa consiste numa abertura a propostas de associações ou empresas para ocupar, cuidar e dinamizar locais nessas estações (como antigos gabinetes de Chefes de Estação, Salas de Espera, antigos locais de restauração, etc).

Os setores prioritários na análise dos projetos eram :

  • Estabelecimentos comerciais : cafés, bar associativo, restaurantes, mercierias, lojas de produtores locais
  • Serviços ligados à mobilidade : “estação” de bicicletas, aluguer de veículos, etc
  • Serviços ligados ao empreendedorismo e à atividade económica : incubadoras, cooperativas, showroom, etc
  • Espaços diversos : coworking, Fab Lab, ateliers artesanais, ateliers de fabricação ou de recuperação (como uma oficina de bicicletas)
  • Equipamentos públicos : Posto de Turismo, Biblioteca, Sala de Espetáculos, etc

A SNCF Gares & Connexions, divisão da empresa que é responsável das estações, criou um site (https://www.1001gares.fr/) onde estão listados os locais disponíveis para uma eventual atividade. Este site ficou disponível no final de Junho de 2019, foi nesse mesmo momento que o programa entrou na sua fase concreta.

Depois as propostas são analisadas e selecionadas. Para facilitar a instalação desses novos serviços ou associações a SNCF disponibiliza 20M€ a nível nacional. Este investimento destina-se a recuperar os imóveis visados.

Espaço de coworking associativo instalado numa estação SNCF (img : SNCF)

Espaço de coworking associativo instalado numa estação SNCF (img : SNCF)

Os principais critérios valorizados eram :

  • Serviços propostos aos passageiros da estação
  • Número de empregos full-time criados
  • Contactos com outras organizações (p. ex. : câmaras municipais)
  • Contactos com organizações locais (p. ex. : Empresas Locais, Associações, Estabelecimentos Comerciais)
  • Capacidade para animar a estação e o espaço envolvente : programa de eventos e animação

No lançamento do programa, em Junho, foram disponibilizados espaços em 342 estações repartidas em toda a França, o que nem é muito, tendo em conta que existem 3000 estações a nível nacional.

Em Novembro, tinham sido recebidas 435 propostas para 198 estações. O que também quer dizer que para cerca de 50% das estações nenhuma organização demonstrou interesse em ocupar as instalações.

Estações animadas numa rede com cada vez menos comboios

A rede dita “secundária” francesa engloba 10000km de linha ferroviárias, na sua larga maioria de bitola europeia. Esta rede é classificada internamente pela SNCF Réseau como “UIC 7 a 9″.

Esta classificação foi elaborada pela UIC há já algumas décadas, dai advém o nome, e baseia-se particularmente nas tonelagens suportadas pela via. Originalmente, era usada com forma de definir referências de manutenção da via nas diferentes linhas da rede.

Todavia, há cerca de duas décadas, foi gradualmente adoptada também para classificar a “importância” de uma linha. Ora, com a redução expressiva do tráfego de mercadorias e o aparecimento de material circulante novo (muito mais ligeiro), muitas linhas com um tráfego de passageiros significativo e muito importantes para a rede acabaram no fim da classificação, nas tais categorias 7,8 e 9.

Só que, desde 2016, a SNCF Réseau já não financia em fundos próprios manutenção pesada, renovações e modernizações de linhas classificadas nestas categorias.

O resultado é dramático e visível, as linhas regionais vão caindo e encerrando umas atrás das outras. Felizmente, uma parte é salva pelas regiões, só que estas não tem, de todo, capital para fazer frentes a todas as necessidades de renovação de 10 000km extremamente envelhecidos : a idade média da via UIC7-9 em 2017 é de 30 anos.

Mas se a infraestrutura deixou de ser financiada pela SNCF, as estações continuam sob responsabilidade da empresa. O resultado são linhas com estações remodeladas, animadas, cuidadas mas onde depois… não há comboios. Ou melhor há, mas por vezes existe apenas 1 ida/volta por dia. O resultado é atratividade : 0, Passageiros Transportados : quase 0, custos operacionais : significativos.

Pior, a SNCF para responder aos pedidos de redução do custo de produção da oferta por parte das regiões propõe… substituir os poucos comboios que restam por autocarros. Acabamos por ter estações ferroviárias espetaculares e pessoal ferroviário a servir linhas de autocarro. O que é no mínimo absurdo.