free web
stats

Unboxing das carruagens SOREFAME da SUDEXPRESS (2)

Com a introdução das carruagens Sorefame da Sudexpress Scale Model Trains no mercado, um dos primeiros pensamentos será: e iluminação, vai ter? Nesse sentido, através da Electronic Models, desenvolvi 2 placas que encaixam de forma uniforme em todos os 3 modelos de tipologias que a marca anunciou, uma para salão, compartimentos e restaurante, e segunda, de iluminação de fim de composição para os diferentes bastidores, bourelets e foles. O kit já disponível é composto por 3 placas de iluminação para a zona do salão ou compartimentos e uma placa de fim de composição, ou seja, pode equipar três carruagens, sendo que apenas uma delas, num dos bastidores, terá luz de cauda. A montagem do kit é bastante simples, sendo apenas necessário soldar algumas peças, os fios (não incluídos no kit) e os condensadores (incluídos no kit).

1. Abrir a carruagem

Tal como quase todas as peças da Sudexpress Scale Model Trains, e esta não seria certamente excepção, a carruagem abre-se muito facilmente (não confundir o “abrir facilmente” com um “abrir-se sozinha”). A forma de encaixe entre o chassis e o corpo é subtil e é algo que a marca nos tem vindo a habituar (e a melhorar) ao longo do tempo. As 2500/2550 são também um excelente exemplo de como esta pequena funcionalidade pode transformar um modelo e torná-lo muito melhor do que outros (isto é: fácil de abrir e reparar). Para abrir, basta folgar a carruagem na zona dos bogies e notar-se-á logo que a caixa da carruagem se desprendeu do chassis. Quando se separarem as duas peças, fica-se com a “caixa” da carruagem de um lado (que não é precisa para instalar a iluminação) e o interior da carruagem sobre o chassis do outro. Para fechar, é tão fácil como abrir e é bastante sensitivo e auditivo.

2. Desmontar o bogie (pode ser um dos dois, sem preferência), soldar fio e montar o bogie

Figura 1: ligação dos fios às tomas de corrente, já colocadas no bugie

Figura 1: ligação dos fios às tomas de corrente, já colocadas no bogie

O bogie destas carruagens é facilmente removido pois apenas está preso com um parafuso. Assim que o bogie está separado da caixa, o ideal será soldar os fios às tomas (que já estão incluídas nos sacos dos acessórios das carruagens). O fio a usar convém ser bastante fino, dado que tem que passar para dentro da carruagem (tem uns pequenos orifícios que permitem passar o fio para o interior da carruagem), e relativamente maleável. Para isso, aconselho um fio de 0.25 mm, que é fino o suficiente para esconder dentro da carruagem, mas resistente o suficiente para as movimentações do bogie. Sempre que possível, testar a continuidade do fio e da toma, para ter a certeza que a toma está bem ligada ao fio.

Depois de soldar os fios às tomas, a ideia é dobrar os “braços” das tomas um pouco para dentro, para ter a certeza que há contacto. Ao mesmo tempo aplica-se um pontinho de cola (uma que não estrague o plástico) no pino onde a toma vai assentar no bogie e coloca-se a toma em posição. Aqui chamo a atenção para não deixar a toma fugir de sítio (com o peso do fio) pois após a cola fazer efeito, torna-se difícil retirar a toma sem deformar ou estragar o pino e a superfície de assentamento dessa parte do bogie. No final, volta-se a colocar o bogie no sítio e aparafusar, tendo em atenção que se deve deixar uma pequena folga para que o bogie possa rodar livremente nas curvas.

3. Montagem dos condensadores na placa de iluminação

Figura 2: posicionamento do condensador dentro da casa de banho da carruagem

Figura 2: posicionamento do condensador dentro da casa de banho da carruagem

Os condensadores que vêm por montar servem para evitar o efeito de luz “discoteca”. Apesar do conceito de levar uma discoteca para os carris poder ser interessante, no modelismo torna-se irrealista e não é agradável. Para isso, a placa de iluminação interior tem zonas próprias para colocar os condensadores (dois por placa). São fáceis de soldar, mas é necessário soldá-lo a cerca de 10 mm da base das “patas”, quase sem margem de o ajustar na case de banho do modelo, ocupando-a toda. É também preciso ter atenção à polaridade dado que, se for ligado de forma errada, pode provocar sérios danos no modelo. Estes condensadores têm grandes vantagens, como por exemplo a sua capacidade de armazenar energia durante um espaço curto de tempo, mas sendo polarizados apresentam a desvantagem de provocar pequenas explosões se não forem bem ligados, por isso é preciso ter atenção à polaridade – a “pata” maior é o positivo.

4.  Ligar e colocar as peças na carruagem

Figura 3: montagem do kit, com as ligações principais

Figura 3: montagem do kit, com as ligações principais

De forma simples, já temos as tomas com os fios e os condensadores na placa. A fase seguinte é ligar os fios à placa: um dos fios liga ao TL e o outro ao TR. Nesta fase podemos testar e verificar se as luzes acendem. No caso de não acenderem, é porque alguma das ligações não está bem feita (isto é: a fazer contacto), sendo portanto necessário verificar qual a ligação interrompida e soldar de novo. No caso de se colocar a luz de cauda, ambas as peças têm ligações “+” e “-” (as ligações devem ser conforme a figura 3 mostra).

A placa maior vem equipada com uma resistência variável que permite ajustar a intensidade da luz. É necessária uma chave de parafusos pequena (2.0 mm) e ajustar para a intensidade que se quer. De origem, vem com a intensidade máxima que é bastante boa e dá o efeito que se pretende, pelo que o meu conselho é deixar como vem de origem.

A colocação das peças é rápida. A peça de cima assenta nuns pinos que a carruagem tem por cima das portas do salão. A peça de cauda fica na… cauda, em “U” invertido, assente num “u” mais pequeno que o chassis da carruagem tem. Para fixar, basta usar uma fita adesiva e prender a placa a essa peça do chassis. No fecho fica na posição correcta para os LED‘s vermelhos baterem certo com os “óculos” de plástico que fazem de luz de cauda. Tal como nos restantes passos, é importante testar antes de fechar, para se ter a certeza que está tudo a funcionar.

5. Fechar a carruagem

Com as placas montadas e a funcionar é altura de fechar a carruagem. O meu conselho é começar sempre pelo lado onde está a luz de cauda (caso tenha). Como a carruagem tem peças de plástico a fazer o efeito de cauda, é necessário que a carruagem e a placa de cauda encaixem bem. Para isso, tenta-se deslizar o corpo da carruagem ao longo da placa de cauda, e depois é só encaixar normalmente. É fácil de fazer e a forma como a Sudexpress Scale Model Trains projectou os modelos faz com que este processo seja simples e prático. Quando se ouvirem os “clicks“, é sinal que a peça está fechada e pronta a ser posta na linha. No final, o resultado será algo parecido à fotografia da figura 4, onde as luzes interiores e de cauda encaixam bem na carruagem, sem grandes intensidades e contrastes.

Para quem tiver interesse em adquirir um kit, pode adquirir-lo aqui. Para aqueles modelistas e/ou coleccionadores que tenham dificuldades em electricidade e em  soldadura, a Electronic Models propõe um serviço de montagem que já inclui o kit. Para isso apenas deve entrar em contacto através do correio electrónico geral@electronicmodels.com.

[Parte 1]

Figura 4: resultado final

Figura 4: resultado final