free web
stats

“Iberização” da carruagem cama CIWL da Electrotren #18202

Há algum tempo, publiquei um artigo sobre a ““Iberização” do furgão CIWL da Electrotren #18203“, onde expliquei como, com algumas operações relativamente simples, era possível corrigir os erros que a ELECTROTREN cometeu ao comercializar uma versão ibérica de um furgão que circulou além Pirenéus, e que ao ser transferido para a Península Ibérica, sofre necessariamente alterações de modo a ser possível a prestação de serviço comercial em Portugal e em Espanha.

Aspecto inicial (foto Electrotren)

Aspecto inicial (foto Electrotren)

Na altura, prometi continuar com os restantes 4 modelos comercializados na mesma altura. Neste artigo irei explicar como corrigir a referencia 18202, uma carruagem cama LX 20, que entrou ao serviço na Península Ibérica em 1966 e foi retirada em 1975, ou seja 9 anos depois. Pertenceu ao parque espanhol, mas não quer dizer que não pudesse pontualmente aparecer em Portugal em algum serviço especial, ou substituindo alguma carruagem avariada, do parque de serviço em Portugal.

Mod_CEC_Lx_EugSantosDa mesma forma, a documentação de base são varias fotografias encontradas na internet, o capitulo 2.2.b do livro Coches Cama, Restaurantes y Salones en los Ferrocarriles de la Peninsula Iberica, da autoria de Javier Aranguren, conhecido e reputado autor do meio ferroviário espanhol e o livro La Compagnie des Wagons-Lits, dos autores Gérad Coudert, Maurice Knepper e Pierre-Yves Toussirot, edições La Vie du Rail. Utilizei também o esquema produzido pelo Eugénio Santos, bastante detalhado, e que recomendo consulta antes de iniciar a “iberização”.

A versão da Electrotren, tem a razão social longa, o que limita a utilização temporal do modelo para composições entre 1966 e 1968/1970, data em que começou a ser aplicada a razão social curta da companhia, não tendo conseguido determinar a data em que esta modificação foi aplicada a esta carruagem. Algum do lettering aplicado à carruagem na altura em que iniciou serviço na Península Ibérica, não foi aplicado, pela dificuldade em encontrar decalques específicos. É uma falha grave no modelo.

Tejadilho na nova cor e caixilhos das janelas alterados

Tejadilho na nova cor e caixilhos das janelas alterados

A cor do tejadilho, apesar de ser um tema muito pouco claro, nas várias fotografias consultadas, e verificando alguma homogeneidade nas cores dos tejadilhos de várias carruagens, levou-me a acertar esta cor com a cor dos tejadilhos das carruagens da SUDEXPRESS SCALE MODEL TRAINS, que utilizou o RAL 7012. A pintura foi executada a aerógrafo e utilizei a tinta acrílica Model Color  70.869-cod 162 da Vallejo.

No modelo original, são colocados em todas as janelas, espessos caixilhos dourados, que na realidade não mantinham esta cor, nem tinham esta dimensão. Optei assim por retirar a cor dos caixilhos, aproximando ao aspecto real, e harmonizando também com as carruagens da Sudexpress, recorrendo a um palito de madeira, mediamente afiado. É uma operação de paciência e lenta, mas com bom resultado, como se pode ver na fotografia.

Detalhe da colocação das lanternas nas portas de acesso de passageiros

Detalhe da colocação das lanternas nas portas de acesso de passageiros

Para terminar o corpo da carruagem, falta a furação em cada uma das portas de acesso dos passageiros, para colocar as lanternas de localização das portas de acesso. À semelhança do que fiz no furgão, optei pelas lanternas disponibilizadas para as carruagens cama da Sudexpress, que são de muito fácil colocação. Utilizei um pequeno berbequim com uma broca de 0,5 mm. A altura do furo foi tirada por aproximação das fotografias que referi.

Passando ao chassis, é talvez a parte mais trabalhosa desta “iberização”.

As novas peças montadas/recolocadas

As novas peças montadas/recolocadas

Compreende a mudança de uma das caixas eléctricas que vem em local errado, a colocação do sistema de travão a vácuo e, finalmente, um reservatório adicional de água. Utilizei de novo peças do kit de detalhe da Roco, referencia 122605, de onde retirei os 2 depósitos e os dois freios de vácuo. Como antes fiz para a colocação das lanternas, calculei a localização destas peças por aproximação, observando as fotografias disponíveis.

As alterações da aparelhagem no chassis

As alterações da aparelhagem no chassis

Com excepção dos depósitos, que foram de colocação directa, fazendo um furo à medida, para os cilindros de vácuo foi necessário recorrer a cortes de material para adaptar ao perfil específico da carruagem, como descrevi no artigo do furgão, e utilizei também perfil rectangular EVERGREEN, referencia 102, para fazer as peças em falta, na fotografia ainda a branco. A colocação é feita fazendo alguns furos e fixado com cola ciano-acrilato. Por fim pintei/retoquei com tinta preta mate coberta depois também com verniz mate. Falta, nesta altura, a alteração mais delicada, o acerto da altura da carruagem.

Diferença de altura: Electrotren à esquerda, Sudexpress à direita

Diferença de altura: Electrotren à esquerda, Sudexpress à direita

Como todos os modelos da RIVAROSSI, das quais a Electrotren utiliza os moldes para fazer estes modelos, estão muito altas por comparação à escala correcta e como descrito no artigo do furgão, fiz o acerto pelas carruagens da Sudexpress. O desbaste é feito por fases até acertar a altura pelos batentes das 2 carruagens, sempre nos bugies, ressalvando que nada deve ser modificado no chassis, correndo o risco de alterar a estabilidade da carruagem, como ficar inclinada para um lado, ou tremelicar durante o andamento.

Arestas do fole a desbastar

Arestas do fole a desbastar

Quando se acertam os batentes, os dois corpos das carruagems estão certos, inclusivé os tejadilhos, mas permanece uma diferença ainda muito visível, no acerto dos foles. Este acerto é feito no próprio fole da carruagem, mais uma vez por aproximação, nas arestas inferiores dos pinos de encaixe no corpo da carruagem, como assinalado na fotografia. Mais uma operação de paciência, mas como mostra a fotografia, o resultado final é reconfortante e vale a pena.

Alturas e foles corrigidos!

Alturas e foles corrigidos!

Terminada a tarefa de melhoria do aspecto geral, falta falar do interior. Esta carruagem entrou ao serviço com a sua decoração original, em mogno perlado com motivos em chumbo branco, da autoria do decorador francês Nelson, na configuração LX 20, ou seja, duas camas por compartimento. Neste campo, e mais uma vez, a Electrotren utilizou um interior correspondente à configuração inicial, de 1929, LX10, em que cada compartimento era individual e cuja utilização foi inferior a dois anos. Pelo que também há modificações a fazer, mas que deixarei para outro artigo.

Com estas alterações, ficamos na posse de 1 modelo, ou dois se também tivermos adquirido a referencia 18201, também uma carruagem cama LX 20, com o numero 3529, embora não perfeitos, mas que encaixam bem em composições mistas com as carruagens da Sudexpress, da mesma época destas, referencias 98014 e 98015, respectivamente, carruagem cama S2 numero 2796 e conjunto de 3 carruagens cama S1 e S2, números 2943, 2706 e 2890.

Ainda uma ultima observação/sugestão para a Electrotren, está na altura de comercializar novos modelos destas carruagens cama, mas desta vez adaptadas à situação final em que prestaram serviço na Península Ibérica, época IV, rectificando todos os pontos referidos neste artigo. Estes novos modelos poderão ser utilizados em conjunto com as carruagens da Sudexpress, referencia 98016, carruagens cama tipo S2T e S3 e também com as carruagens cama T2, também já comercializadas pela própria Electrotren.

Aspecto final, em cima lado do corredor, em baixo lado dos compartimentos

Aspecto final, em cima lado do corredor, em baixo lado dos compartimentos