free web
stats

Governo acorda medidas de minimização dos riscos na Linha da Azambuja

O Governo promoveu esta manhã uma reunião sobre a Linha da Azambuja e as questões relacionadas com os comboios da CP que servem a região.

Os dois pontos críticos foram unanimemente identificados tanto por parte da CP e IP, como da Câmara Municipal da Azambuja: o facto de as pessoas que chegam concentrarem-se na hora da saída numa única carruagem (a que está mais perto da saída da estação) e haver apenas uma escadaria de acesso à rua, onde todos os utentes se juntam sem o necessário distanciamento social.

Tanto do lado da CP, como da IP, foi desmistificada a ideia errada de que os comboios estejam cheios na Linha da Azambuja. Os números pós-Covid apontam para lotações nunca superiores a 20%, mesmo nas horas de ponta, numa média que tem rondado os 12%.

O Governo comprometeu-se assim a tentar encontrar uma solução que ajude a promover alguma pedagogia junto dos utentes, nomeadamente através da colaboração das forças de segurança tanto dentro do comboio, como na estação. A ideia é levar as pessoas a comportamentos que minimizem os riscos, nomeadamente dispersando-se pelas várias saídas do comboio e não apenas na da frente e garantindo o acesso à escadaria com distâncias de segurança.

Relativamente aos outros intervenientes, ficou definido o seguinte:

- A IP irá incluir na estação do Espadanal um conjunto de sinalética para sensibilizar as pessoas para utilização do espaço físico na sua totalidade e não concentração junto às escadas.

- A CP reforçará a sensibilização dos seus revisores para um papel pedagógico de distribuição das pessoas ao longo do comboio e não concentração na hora da saída.

- Recomendar às empresas dar tolerância aos trabalhadores na hora de picar o ponto, evitando assim urgência em chegar.

O Governo saúda a total disponibilidade da Câmara Municipal da Azambuja, na pessoa do seu presidente Luís Manuel de Sousa, para colaborar em todas as ações que permitam minimizar o risco. E saúda também a forma positiva como as empresas estão também a lidar com esta pandemia e todas as medidas e regras que têm implementado internamente.

Participaram nesta reunião do lado do Executivo, o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares e Coordenador da Região de Lisboa e Vale do Tejo para a resposta à Covid-19, Duarte Cordeiro, e o Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado.

MIH