free web
stats

Metro de Lisboa comemora onze anos do troço Alameda / S. Sebastião

O Metropolitano de Lisboa assinalou no dia 29 de agosto, o décimo primeiro aniversário da entrada em exploração do troço da linha Vermelha que liga Alameda a S. Sebastião, que permitiu a remodelação das estações Saldanha (Linha Amarela) e S. Sebastião (Linha Azul) e a inauguração das novas estações, Saldanha II e S. Sebastião II.

Este prolongamento permitiu, pela primeira vez, interligar a linha Vermelha às restantes 3 linhas – Verde, Azul e Amarela através de uma conexão transversal a meio da sua extensão – criando uma rede de metro estruturante.

Milhões de passageiros utilizaram essas estações

Ao ter proporcionado uma ligação direta entre a estação Oriente/S. Sebastião (à data de 2009) o Metropolitano de Lisboa alargou a sua área de influência e reforçou a mobilidade urbana.

Apostando numa política de mobilidade sustentável, a criação deste prolongamento proporcionou ganhos de comodidade para os passageiros, expressos na redução do número de transbordos e na redução dos tempos de viagem.

Afirma o Conselho de Administração desta empresa: “Se não estivéssemos a viver o atual contexto de pandemia que gerou uma diminuição de 43,4% do volume de passageiros no primeiro semestre do corrente ano, prevíamos que, nos 11 anos de exploração desse troço, 136 milhões de passageiros tivessem utilizado essas estações (em dez anos de exploração, passaram 117 milhões de passageiros por essas estações!)”

Nos trajetos S. Sebastião/Saldanha/Alameda os tempos de viagem foram reduzidos para cerca de 1 minuto entre estações e sem necessidade de transbordo entre linhas, face aos anteriores 10 a 20 minutos, incluindo o tempo de transbordo nas estações Marquês de Pombal ou Baixa-Chiado.

Este prolongamento tem tido uma importância crescente para a diminuição da utilização do transporte individual e a consequente diminuição de gases poluentes emitidos para a atmosfera no eixo central da cidade de Lisboa.

ML