free web
stats

Train Spot na Beirã já abriu

100925-20130731110750Abriu ontem, dia 5 de Agosto,  no espaço da estação de fronteira  Marvão Beirã a Guest House Train Spot. É no edifício do restaurante,  que servia de suporte aos viajantes mais abastados em trânsito entre Portugal, Espanha e a Europa, que a Train Spot vai passar a receber e desafiar a descansar,  quem se aventurar pelo Alto Alentejo, e andar pela região de Marvão.

Para o HostelBookers, “a Train Spot guesthouse é um lugar para viajantes“. Está preparada para receber um total de 24 pessoas. Apresenta camas individuais com wc partilhado, e apartamentos com jardim. A primeira refeição pode ser degustada numa das áreas comuns:  “diariamente é servido um pequeno almoço com ementa regional, que pode ser degustado nas áreas comuns como a cozinha, a sala, a esplanada e os jardins.”

100925-20130731110722A estadia  no espaço da antiga estação ferroviária de fronteira entre Portugal e Espanha, segundo a agência online de viagens, pode ser também o ponto de partida no encontro com lugares singulares da região: “Situada na tranquila aldeia de Beirã, a Train Spot fica a escassos minutos da vila medieval de Marvão (a mais alta de Portugal), de Castelo de Vide, das ruínas romanas da AMMAIA, das piscinas naturais do Rio Sever, e muitos outros lugares mágicos de Marvão.” Mote para para não deixar de ir à “descoberta do Parque Natural onde se insere e da cultura típica dos povos raianos do Alto Alentejo“, assinala a publicação.

100925-20130731110735O comboio é que já não é ponto de partida ou chegada. E também deixou de ser elemento centralizador para a Beirã,  e para a Guest House. Hoje mais longe de tudo. O  ramal que servia a estação encontra-se encerrado desde 15 de Agosto de 2012. O gestor de infraestrutura, a Refer, aplicava em 2012 a Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2011, errando o ramal “Na sequência das orientações estabelecidas pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2011, de 10 de Novembro, que aprova o Plano Estratégico dos Transportes para o horizonte 2011-2015, a REFER informa que o Ramal de Cáceres (Torre das Vargens / Marvão-Beirã) será encerrado à exploração ferroviária a partir do próximo dia 15 de Agosto.“, descartando-se assim a Tutela.

 100925-20130731110719Os 72 km do ramal de Cáceres, entre a estação de Torres das Vargens, na linha do Leste, e a fronteira com Espanha, eram assim encerrados à exploração ferroviária 133 anos depois da abertura provisória em 1879. A abertura oficial só se realizou no anos seguinte, a 6 de Junho de 1880.
A Beirã, e todo o alto Alentejo pouco depois, perdia então uma centralidade ferroviária no transporte de passageiros. Uma realidade de quase 5 horas de viagem até ao Entroncamento, e à acessibilidade a outros pontos da restante rede. Vê partir as últimas quatro circulações , duas ascendentes e outras duas descendentes. Mais a passagem do comboio internacional Lusitânia Comboio Hotel para a Beira Alta em fusão com a Sud Expresso: “Em consequência, a partir desta data, o comboio internacional Lusitânia passará a circular, em itinerário alternativo, pela Linha da Beira Alta.”
100925-20130731110724
Para terminar, o ano de 1926 é apontado como o ano em que se realizaram as obras para o actual figurino. Ou seja a actual configuração que a estação de Marvão – Beirã apresenta. Na publicação quinzenal, dedicada aos temas ferroviários, a Gazeta dos Caminhos de Ferro de 6 de Agosto de 1926 dava conta de que a  “estação foi alvo de grandes obras de expansão, tendo o antigo edifício sido totalmente modificado; aumentou-se, assim, o espaço disponível para a delegação aduaneira, os serviços, e os alojamentos para o pessoal, e construiu-se um anexo com um restaurante, e 4 quartos para os passageiros, com lavabos individuais.” O título do artigo, da publicação de época, era então:  “A estação de Marvão-Beirã”.
O ramal de Cáceres ligou as cidades de Lisboa e Madrid, e viu circular, antes de passar para a Beira Alta,  o Sud Expresso para rumo à Europa. A Beirã foi o caminho mais curto para a capital espanhola, deu avanço ao TER Lisboa Expresso entre 1967 e 1989, e ao Lusitânia Comboio Hotel de 1995 até 2012. Circulação que em 2012 encerrou o ramal.
Imagens: HostelBookers
texto: Rui Ribeiro