free web
stats

Siemens equipa Corredor Logístico Integrado do Norte

mzRA empresa Corredor Logístico Integrado do Norte (CLIN) seleccionou o grupo alemão Siemens para fornecer o equipamento de sinalização e o sistema de controlo ferroviário para a linha férrea que ligará Moatize, em Tete, ao porto de Nacala, na provincia de Nampula, em Moçambique.

De acordo com a CLIN, uma parceria entre o grupo mineiro brasileiro Vale (80%) e a empresa estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (20%), o grupo Siemens irá instalar nos 912 quilómetros de via férrea o sistema “Train Sentinel Positive Train Control (PTC)”, o que constitui uma novidade no continente africano.

Com um custo orçado em 70 milhões de euros, o contrato estipula que o grupo alemão fornecerá o equipamento para o centro de controlo a ser construído em Nacala e garantirá o serviço pós-venda durante o período de 12 meses.

A linha de caminho-de-ferro ligará a região de Moatize, onde o grupo Vale está a extrair carvão actualmente a ser exportado através do porto da Beira, ao porto de águas profundas de Nacala, passando pelo Malawi.

Quando a linha ficar pronta, o que deverá ocorrer na segunda metade de 2015, será possível escoar um máximo de 40 milhões de toneladas de carvão por ano, dos quais 30 milhões estão reservados para o grupo brasileiro, que está a finaciar a obra, ficando os restantes 10 milhões de toneladas disponíveis para outras empresas mineiras ou para comboios de passageiros.

Em paralelo a Siemens encontra-se também envolvidada na instalação e operacionalização de soluções de distribuição de energia para o porto carbonífero de águas profundas em Nacala-à-Velha.