free web
stats

Viagens de ferroviários e familiares repostas temporariamente

img : Gerhard Missbach

img : Gerhard Missbach

A administração da CP emitiu uma deliberação a repor temporariamente viagens particulares aos trabalhadores no activo do Grupo CP e respectivos familiares.

Por deliberação a administração da CP decidiu “autorizar a realização de viagens particulares aos trabalhadores do activo do Grupo CP e respectivos familiares, no período entre 21 de Dezembro de 2013 e 2 de Janeiro de 2014, nos comboios dos serviços Intercidades – 2ª Classe, regionais, Inter-regionais e Urbanos”.

Para o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF), a medida deliberada pelo Conselho de Gerência da CP não vem trazer nada de novo, “não nos estão a dar nada, porque, o governo tem é que repor o direito a viajar tal como aconteceu até ao final de 2012″, refere em comunicado.

O direito das concessões foi cortado com o Orçamento de Estado de 2013, corte que se mantem com a proposta de OE para 2014. As concessões têm sido um dos motes para a posição de descontentamento da classe, que tem tido como reflexo manifestações e greves.  A retirada das concessões transporte, viajar sem custos nos comboios de serviço público, atinge os  trabalhadores no activo, e reformados. Sendo que para os reformados e rescisões, foi apresentado como um complemento de reforma.

Mas segundo o SNTSF o “roubo será mais aligierado”. Excluído que aparenta estar descer os dois degraus subidos com o  fim das concessões de transporte, a Tutela prepara-se para descer um. E apresentou descontos de 75% nas viagens para trabalhadores e reformados, e 50% para familiares nas viagens ferroviárias, tentado assim fazer esquecer assim o antigo  regime de concessões.