free web
stats

video – Colóquio/ Debate Barreiro Ferroviário

O futuro do património e memória do Barreiro ferroviário vai ter esta terça feira um momento que pode modelar o rumo das estruturas que nos últimos anos têm perdido a ultilidade ferroviária no Barreiro, com reflexo  na identidade e valências no Caminho de ferro daquela cidade da margem sul do Tejo.

Em junho Sérgio Monteiro, sec. Estado dos Transportes, apresentou um grupo de trabalho para se debruçar sobre o futuro do Barreiro Ferroviário, que termina agora. No sentido de contribuir na reflexão proposta pelo secretário de Estado dos Transportes o Movimento Cívico para a Salvaguarda do Património Ferroviário do Barreiro (MCSPFB), organizou um colóquio debate no espaço L. Onde procurou dar contributos para  as soluções que o grupo vai levar a Sérgio Monteiro.

A área de influência à reflexão compreende a mancha entre a ponte das Palmeiras, perto da estação do Lavradio, a Estação de Sul e Sueste, Oficinas das EMEF, canal ferroviário sem operação, bairros operários, cantina, dormitório. Numa lógica que procura o equilibrio entre “sustentabilidade” e “cultura”.

Através do Vereador do Património foi possível saber que existe a intenção de manter a competência  oficinal no Barreiro, embora o espaço  ocupado deva ser menor. Onde apontou que em pouco tempo  uma parte que hoje é reservada para parquear material, venha a ser libertado para outros fins fora do ambito ferroviário.

E lançou onde o património ferroviário do Barreiro pode sair valorizado se se conseguir impor como “algo iconográfico”, que tenha dimensão no contexto da Área Metropolitana de Lisboa.

A webrails.tv recomenda uma leitura de Rui Lopo, Vereador da Câmara Municipal do Barreiro
«Património Ferroviário do Barreiro é único na Área Metropolitana de Lisboa» , para quem quiser entrar ainda mais no tema.