free web
stats

Campolide recebe acção de defesa do Património azulejar

2013-12-16 16.07.44A estação  de Campolide, na linha de Sintra, foi hoje palco de um “passo visível” da colaboração entre a SOS AZULEJO e a REFER na defesa do património azulejar. A colaboração dura há mais de um ano, e procura contribuir na defesa do acervo azulejar presente nas  infraestruras ferroviárias da REFER.

Num acto simbólico foi descerrada por Rui Loureiro, presidente da REFER,  uma placa que vai passar a figurar nas estações com acervo azulejar. A informação contida visa dissuadir actos de vandalismo, roubo, e dificultar a comercialização de azulejos.  O processo tem por base o  trabalho exaustivo de inventariação dos azulejos presentes em estações e apeadeiros desenvolvido pela REFER em colaboração com a SOS AZULEJO.

Segundo a mentora e coordenadora do projeto SOS AZULEJO, Leonor Sá, “todos os azulejos de todas as estações e apeadeiros  estão a ser inventariados pela REFER, esse inventário inclui fotografias detalhadas dos azulejos, e se alguns desses azulejos forem furtados há possibilidade de imediatamente colocar na net as imagens desses azulejos, que assim são impedidos de circular com facilidade nos circuitos comerciais”, refere.

Já para a REFER,  proteger o património azulejar à sua guarda, que conta com “cerca de 3oo estações em mais de 900 é um trabalho ciclópico” se não tiver a apoio de todos, e das forças policiais, referiu Rui Loureiro.

.

Audio/Entrevista: Rui Loureiro, Presidente da REFER

.

A iniciativa contou com a intervenção da viúva de Eduardo Nery, Andreas Stöcklein, artistas presentes em obras  naquela estação. A colaboração na defesa do património azulejar entre a SOS AZULEJO e a REFER tem a coordenação do Museu da Judiciária.

Rui Ribeiro

Audio das Entrevistas