free web
stats

Sperry Rails SRS 242 da RTrains

01A RTrains, depois de um curto mistério, revelou esta semana o Protótipo que em Janeiro próximo irá disponibilizar numa edição limitada de 50 unidades à escala H0.
O veículo escolhido é o “Sperry Rails SRS 242” para auscultação de via, de produção inglesa e que através da REFER visita o nosso país para efectuar a verificação dos carris nacionais.

webrails.tv – Como surgiu a ideia de reproduzir a esta peça em HO?

03RTrains – Antes de mais quero agradecer a amabilidade que a Webrails.TV teve em nos convidar a prestar este depoimento sobre o nosso novo projecto.
Quanto ao Sperry, a ideia surgiu em Outubro quando vi fotos deste equipamento “agarrado” a uma carruagem Portuguesa, pois desconhecia que se utilizava este tipo de equipamento de auscultação de micro fissuras no nosso País, pois todo o equipamento “estranho” que se vê nas nossas linhas pertence basicamente à Somafel.
Tal como nas estradas e aeroportos existem standards para efectuar campanhas preventivas de detecção de ruina de pavimentos, também na ferrovia há essa necessidade e a Sperry, fundada em 1928 por Elmer Sperry, foi a primeira empresa que utilizou tecnologia não destrutiva para identificar e assinalar as microfissuras de desgaste no carril.

Sendo esta uma das minhas muitas áreas de interesse profissional, aliado a que a grande maioria dos aficionados e / ou modelistas destas lides desconheciam este tipo de equipamento, pensamos que seria a nossa porta de reentrada no mercado.

Bom claro está que há mais factores, é uma peça bonita, é uma peça que se pode acoplar às 1400 que a grande maioria dos coleccionadores CP tem em sua posse e é uma peça que é usada em todo o mundo, não só aqui em Portugal.

webrails.tv – Podes descrever qual o processo para chegar ao protótipo?

RTrains – Bom o processo foi muito curto, reuni algumas das poucas fotos possíveis na altura, documentação que obtive nos contactos com a Sperry e apresentei tudo ao grupo de trabalho, iniciando assim oficialmente o projecto.
O processo desde que se começou a falar neste modelo até ao dia em que apresentámos o Protótipo oficialmente decorreu cerca de 1 mês. Neste tempo desenhamos a ideia, fizemos moldes, testes de peças, fundição de alguns componentes de detalhe em latão, enfim um sem número de tarefas habituais neste tipo de projecto. Agora chegou a hora de produzir as 50 peças.

02webrails.tv – O que vai ser apresentado ao publico na hora de comprar e qual o custo?

RTrains – Será apresentada uma peça única, produzida artesanalmente com detalhagem em metal como por exemplo as escadas, as torneiras laterais que ligam as várias tubagens bem como a barra de ligação aos eixos laterais e seus respectivos macacos (Amortecedores). O modelo será apresentado em caixa de luxo, 04com certificado personalizado e numerado, tendo como valor de venda 59,60€.

webrails.tv – A produção vai ser limitada. O que levou a essa opção, qual o ponto de vista da Rtrains?

RTrains – A Rtrains tem a sua filosofia e visão sobre o que o mercado Português pode e não pode absorver, É certamente compreensível que uma peça produzida artesanalmente seja mais cara que uma de produção em massa, mas no que toca ao nosso mercado, até nisso não podemos contar porque não consegue absorver uma produção como a Alemanha, Inglaterra ou mesmo a França.
Por estas razões as maiores produções tem de ser ou faseadas, ou diversificadas e isso é coisa que a maioria dos fabricantes não pode fazer, pois os custos não compensariam.
Está fora do nosso objectivo posicionarmo-nos no segmento dos topos de gama, alias e pelas promoções que o mercado tem visto, a Rtrains visa motivar o aparecimento de novos entusiastas e aficionados do modelismo ferroviário, pelo que aliado à possibilidade de ter peças “CP” ou portuguesas como lhe queiramos chamar com qualidade, a um preço aceitável, é certamente uma mais-valia que encaramos como sendo um dos nossos focos.
Assim e por ser um modelo que muitos não conhecem ainda, optamos por uma pequena tiragem de 50 unidades, não querendo dizer que mais tarde não se possam fazer alterações, melhorias, etc e que se reedite o modelo, ou mesmo que lá fora haja procura pois o Sperry também corre mundo, mas por agora a Rtrains irá sempre que possível fazer pequenos projectos de material circulante que nunca se tenha visto a circular nas nossas maquetes e que sejam apetecíveis para o coleccionador, como é o caso do Sperry que fica bem em qualquer maquete. Há mais projectos na calha deste tipo, que iremos intercalando com os projectos de fábrica.

05webrails.tv – o modelo à escala vem de um exemplar real, que por vezes se pode encontrar na rede ferroviária nacional. O que é que se pode adiantar sobre o seu enredo (qual a história na rede, o que ele faz na realidade )?

RTrains – Conforme referi, Sperry foi a primeira empresa a efectuar de modo não destrutivo ensaios de via, onde através de ultra-sons detecta e georreferencia as degradações que encontra no carril. Em Portugal quando contratado pela REFER o sistema percorre o País atrelado a uma 1400, (1424 e 1413) fazendo um varrimento continuo das linhas. Toda a informação obtida é depois processada e elaborado relatório que permite identificar as microfissuras encontradas, a sua localização, etc.
Em países onde este tipo de evento ocorre anualmente existem associados06 softwares de gestão que alimentados com este tipo de informação, podem fazer prever o nível de fadiga futuro do material, podendo inclusive disponibilizar uma ideia à gestão, do investimento a fazer, e como poupar dinheiro nessas reparações, fazendo-as ou não preventivamente ou se por sua vez será mais rentável no limite daresistência ou durabilidade do material.