free web
stats

APOM premeia dimensão cultural da ferrovia

vaporDiesel_00A Associação Portuguesa de Museus (APOM) premiou a dimensão cultural da ferrovia nos prémios que atribui anualmente. O reconhecimento foi obtido pela CP Comboios de Portugal e Museu Nacional Ferroviário.

O operador histórico candidatou-se com o programa dos 160 anos de ferrovia em Portugal, assinalado o ano passado, e com o processo que instalou uma caldeira para queimar diesel na locomotiva a vapor 186.

A intervenção na locomotiva Henschel & Son, datada de 1925, foi alvo de reconhecimento pela APOM com o Prémio de Intervenção em Conservação e Restauro 2017.

“Tratou-se de um projecto inovador, que consistiu na substituição da fonte primária da energia da locomotiva, do carvão para o diesel, com o objectivo de potenciar uma maior utilização da composição histórica, com ganhos de eficiência energética e ambiental. Esta transformação foi desenvolvida nas oficinas da EMEF em Contumil”, informou a CP em nota de imprensa.

Por seu turno a APOM destacou: “Foi muito valorizado a qualidade do restauro e a reconversão do motor que permitiu a sua utilização posterior. Uma intervenção em conservação e restauro é sempre complexa e tem uma componente de risco muito forte. Nesta categoria é muito importante para nós enquadrar projectos inovadores, que se destaquem”.

O programa das “Comemorações dos 160 Anos do Comboio em Portugal” promovido em 2016 pela CP, também se evidenciou. Recebeu uma Menção Honrosa na categoria “Parceria”.

O mote ferroviário obteve ainda reconhecimento através do Museu Nacional Ferroviário. A APOM premiou a instituição na categoria “Trabalho na Área da Museologia”.

Para obter uma reacção ao reconhecimento a webrails.tv procurou falar com Ana Fontes, directora do Museu Nacional Ferroviário, mas até ao momento não foi possível.

O reconhecimento encontra uma fase onde o Museu está a trabalhar para integrar a Rede Portuguesa de Museus. Dentro dessa pretensão foi recentemente nomeado um Director para a instituição.

No entanto, seria interessante saber dentro Lei Quadro dos Museus Portugueses, no processo de credenciar a entidade o que tem vindo a ser feito em termos de investigação e quem tem essas competências no Museu.

Ao contrário do Museu, junto da APOM foi possível apurar que o reconhecimento distingue “Práticas museológicas inovadoras e originais em todos os âmbitos de actuação dos museus/instituições culturais”.

A categoria, ao contrário da CP que pagou uma jóia para entrar no concurso, foi determinada pelo Júri e não resulta da proposta do candidato.

“No caso do Museu Nacional Ferroviário, o Júri quer dar visibilidade à qualidade do projecto museológico, nomeadamente na relação com a comunidade, a museografia e as próprias parcerias estabelecidas. É um projecto muito recente, com os olhos postos no futuro e com um enorme potencial, envolvendo públicos muito diferentes, explicou a APOM.

A APOM é a primeira organização profissional ligada aos Museus em Portugal, tendo sido fundada em 1965 com o objectivo de apoiar a comunidade de profissionais de museus Portugueses, realizando diversas conferências e exposições, valorizando a museologia portuguesa.

A entrega dos prémios teve lugar no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, a 9 de Junho.