free web
stats

Transportes ferroviários- “Os Verdes” querem reabertura do troço Covilhã-Guarda na Linha da Beira Baixa

.

“Os Verdes” entregaram no Parlamento um Projeto de Resolução em que recomendam ao Governo que proceda à modernização, eletrificação e reabertura do troço Covilhã-Guarda na Linha da Beira Baixa.

A linha ferroviária da Beira Baixa é uma infraestrutura imprescindível ao desenvolvimento do interior do país, com ligação à linha da Beira Alta e à linha do Norte, sendo que a ligação ferroviária à Guarda constitui um fator determinante para a região e para a aproximação das populações. A Linha da Beira Baixa foi já objeto de um investimento no valor de 350 milhões de euros para a sua modernização e eletrificação. Porém, esses trabalhos só chegaram até à Covilhã, faltando prossegui-la até à Guarda. Para esse efeito, o troço Covilhã – Guarda foi encerrado, em Fevereiro de 2009, tendo sido criado um serviço de transporte rodoviário alternativo, assegurado pela CP, para funcionar enquanto durassem as obras na Linha da Beira Baixa, sendo que o encerramento provisório já dura há 4 anos. Entretanto, a CP suprimiu, em 2012, o transporte rodoviário alternativo que assegurava a ligação entre a Covilhã e a Guarda deixando as populações sem alternativa de mobilidade desde essa altura.

Por considerarem, entre outras razões, que a modernização e a eletrificação do troço entre a Covilhã – Guarda da Linha da Beira Baixa constitui um contributo fundamental para combater as desigualdades e as assimetrias regionais e que não faz sentido que a modernização e eletrificação desta Linha termine na Covilhã, perdendo-se a ligação à capital de distrito, “Os Verdes” entregaram a presente iniciativa legislativa da Assembleia da República, uma iniciativa que será discutida em data a anunciar.

 Projeto de Resolução do PEV com nota explicativa completa

O Grupo Parlamentar “Os Verdes”,

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”

(T: 213919 642 – F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -  imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)

www.osverdes.pt

Lisboa, 29 de Julho de 2013

.