free web
stats

Terminou conferência sobre o Corredor do Lobito

angolaMap2O Corredor do Lobito, foi considerado chave para o desenvolvimento da África Austral. Este foi o tema central da conferência que reuniu de 13 a 15 de fevereiro, em Benguela, peritos e os ministros dos transportes de Angola, RDC e Zâmbia.

Segundo Augusto Tomás, ministro dos Transportes de Angola, o programa de construção, reabilitação e modernização das infra-estruturas de transportes do Corredor de Desenvolvimento do Lobito, já absorveu 120 mil milhões de kwanzas.
O investimento viabiliza empreendimentos estratégicos localizados ao longo da linha e empresta valências estruturais  na prestação de serviços  para o transporte e armazenamento de carga contentorizada, graneis sólidos e combustíveis.

“O Porto do Lobito, o Caminho-de-Ferro de Benguela, o Aeroporto da Internacional da Catumbela, o  Porto Seco e Mineiro, são infra-estruturas competentes que estão prontas a conferir maior conectividade à economia regional”, disse, acrescentando  “os equipamentos e serviços disponíveis vão assegurar maior capacidade operativa, competitividade e segurança na internacionalização das empresas e da economia”.

Em entrevista à RFI, o economista Angolano José Cerqueira, comenta a importância do corredor do Lobito.

José Cerqueira, economista Angolano

(01:35)

Antes da independência de Angola, em 1975, o corredor do Lobito serviu como plataforma logística previligiada para o comércio externo da actual República Democrática do Congo (RDC). Na actualidade o CFB é uma via segura e barata de transporte. Prepara-se para a poder responder a solicitações internacionais com o regresso à fronteira. E pode servir com comodidade aos seus utentes no corredor inter-provincial.